Bom começo

Fernando Rocha

Divulgação


Fernando Rocha
Tinha tudo para ser um jogo igual, disputado palmo a palmo, mas logo aos 2 minutos, no primeiro ataque do Cruzeiro, o zagueiro santista Gustavo Henrique derrubou Pedro Rocha na entrada da área e, por intervenção do VAR, o assoprador de apito, que nada havia marcado além de dar a falta, expulsou acertadamente o jogador do Peixe, alterando completamente o panorama da partida.

No duelo do aluno Rogério Ceni contra o professor, Jorge Sampaoli, com quem estagiou quando o argentino estava no Sevilha da Espanha, o primeiro venceu, mas é preciso que algumas ressalvas sejam feitas.
De fato, houve uma mudança de atitude no comportamento da equipe, algo normal quando há uma troca do treinador, além de ter ficado visível a capacidade de liderança de Rogério Ceni, impondo logo de cara suas ideias, o que obrigou algumas ‘madonas’ do elenco, a exemplo de Thiago Neves, a deixar a zona de conforto, onde prejudicavam a equipe.

A prudência manda aguardar, mas é certo que Rogério Ceni terá mais tranquilidade após a boa estreia, e mais tempo para treinar, o que aumenta as chances de reverter o quadro desfavorável na disputa que travará com o Internacional, dentro de alguns dias, para buscar o heptacampeonato na Copa do Brasil, que se tornou o maior objetivo do clube na temporada.

Olho na Sul-Americana
Seis jogos de invencibilidade no Brasileirão foram perdidos pelo Galo, ao ser derrotado por 1 x 0 pelo Athlético Paranaense, sábado, numa falha do jovem goleiro Cleiton, além das várias chances de gol desperdiçadas, sobretudo por Chará e Papagaio, que não soube aproveitar a chance de substituir o veterano Ricardo Oliveira.

Mas o pensamento de todos no Galo está mesmo voltado é para a Copa Sul-Americana, hoje, no Estádio Independência, onde fará um importantíssimo jogo contra o desconhecido La Equidad, da Colômbia, em busca de um placar mais dilatado, para que possa ter tranquilidade no jogo de volta, que será na casa do adversário.
O Galo é superior ao La Equidad em tudo o que é possível comparar, mas todo cuidado ainda é pouco, pois se existe um ditado popular que cabe direitinho para este tipo de situação é o tradicional “porco magro é que suja água”.

FIM DE PAPO
• Para uma competição que, antes da Copa América, muitos apontavam como decidida, embora só tivessem sido disputadas as nove primeiras rodadas, o Campeonato Brasileiro apresenta um quadro dinamicamente oposto, apenas seis rodadas depois, onde se vê que os seis primeiros colocados podem se considerar na disputa pelo caneco.

• O Palmeiras, incensado pela imprensa paulista como ‘virtual campeão’ até a paralisação para o torneio continental, perdeu até mesmo a condição de vice-líder para o Flamengo, se bem que ambos com a mesma pontuação, estando apenas dois pontos distantes do líder, o Santos, estacionado com 32 pontos, após perder nas duas últimas rodadas. Menos mal que, mesmo derrotado na Arena da Baixada, o Galo permanece em 4º lugar, com 27 pontos, mas agora empatado com o São Paulo e Corinthians, sendo que o tricolor do Morumbi tem um jogo a menos. O que faltou de gols na 15ª rodada do Brasileirão, apenas 18 em dez jogos, sobrou de gente nos estádios, média de 31 mil torcedores por jogo, a melhor até agora, superando com sobras o recorde anterior de 24 mil, na 10ª rodada.

• Na parte de baixo da tabela, a luta contra o rebaixamento também ficou mais acirrada, após os resultados do fim de semana. O Cruzeiro saiu e o Fluminense entrou na zona da ‘confusão’, ao ser derrotado pelo CSA, em pleno Maracanã. A diferença do Grêmio, o 13º, com 18 pontos, para a Chapecoense, o 17º e o primeiro clube da zona de rebaixamento, é de apenas cinco pontos. Não há dúvida que o Campeonato Brasileiro deste ano, se comparado a alguns dos principais certames de pontos corridos disputados no mundo, ganha disparado em equilíbrio, devido à quantidade de reais postulantes ao título.

• Por aqui não dá para fazer previsões tão cedo, pois está longe de ser fato raro ou uma zebra gigantesca a vitória de um time que está nas últimas posições sobre um dos primeiros colocados. O que também deve ser considerado é que Palmeiras e Flamengo, reconhecidamente os elencos mais ricos e, em teoria, mais fortes dos seis primeiros,
juntamente com a dupla Gre-Nal, o Corinthians e o Galo, estão envolvidos em competições continentais ou na Copa do Brasil, o que, obviamente, é uma desvantagem para todos. Apesar das duas últimas derrotas consecutivas, o Santos só tem foco no Brasileiro, por isso tem mais chances de se manter na ponta, o que no fim das contas não lhe traz um grande favoritismo sobre os demais. (Fecha o pano!)
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO