Mãe e padrasto são indiciados por estupro de menino de 4 anos, em Caratinga

Criança era envolvida em relações sexuais do casal, fato descoberto pelas professoras da escola da vítima

TV Super Canal


Delegada Nayára Travassos presidiu o inquérito que investigou caso em Caratinga

A conclusão do inquérito policial que apurou um crime de estupro, tendo como vítima um menino de 4 anos, foi apresentado pela delegada de Polícia Civil Nayára Travassos, nesta última terça-feira (13). O crime foi registrado em Caratinga e chegou ao conhecimento da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM) após um boletim de ocorrência feito pela Polícia Militar, em maio deste ano.

Um inquérito foi aberto para apurar o caso e a Polícia Civil concluiu que a mãe do menino, de 41 anos, e o companheiro dela, de 71 anos, praticaram atos libidinosos com a vítima. A delegada informou que o caso foi descoberto após os professores notarem que o menino passou a apresentar um comportamento estranho na escola e acionarem o Conselho Tutelar.

Segundo a delegada, em conversa com a criança, ela relatou na presença dos educadores e do Conselho Tutelar que presenciava e participava das relações sexuais do casal, chegando a dar detalhes de atos libidinosos. O menino contou que o acusado, chamado pela criança de "vovô", praticava com ele sexo oral.

Prisão do casal após investigações
O inquérito que investigou a acusação de estupro foi concluído pela Polícia Civil no mês de julho. Após a conclusão das investigações, a PC representou pela prisão preventiva dos dois acusados, que foi deferida pelo Poder Judiciário. A mãe da criança foi presa em 8 de agosto pela Polícia Militar e o companheiro dela no dia 12 pelos investigadores da DEAM.

A criança foi colocada na companhia do pai biológico dela e segue sendo acompanhada pelo Conselho Tutelar. Os nomes dos indiciados não foram revelados pela Polícia Civil para preservar a imagem e a identidade da criança.
De acordo com a delegada Nayára Travassos, a mãe do menino e o companheiro dela foram indiciados pelo crime de estupro de vulnerável, previsto no Artigo 217–A do Código Penal, que é praticar ato libidinoso com menor de 14 anos. Em caso de condenação, a pena é de 8 a 15 anos de prisão. Os acusados, conforme a delegada, negam os fatos.

(Com informações da TV Super Canal - Caratinga)
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Liamar 17 de Agosto, 2019 | 00:45
Senhora Delegada Nayara , esse caso da criança de 4 anos , me perdoe mais isso não é mãe , ela perde para o demônio ? isso é um lixo um monte de merda , dois monstros desgraçados ......sinceramente sabem o que eles merecem ? Ser jogados juntos com os demais presos e serem estuprados e mortos , a sociedade agradece dois demônios a menos na terra infelizes eu tenho nojo dresses casos ??????
Alessandra Silva de Castro 16 de Agosto, 2019 | 23:39
Eu nem sei descrever o que sinto!!!njo,ranco,pavor.asqueiros,facinoras!!

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO