PL torna obrigatória separação por sexo em unidades de internação de adolescentes

Autor da proposta, o deputado Hercílio Coelho Diniz (MDB) tem como objetivo evitar a ocorrência de violência sexual contra as internas

O Projeto de Lei 3861/19 torna obrigatória a separação por sexo em unidades de internação de adolescentes. E fixa que, no estabelecimento onde estiverem internadas adolescentes do sexo feminino, somente se permitirá o trabalho, de qualquer natureza, de pessoal do mesmo sexo. As informações são da Câmara dos Deputados.

Em análise na Câmara, o projeto altera o Estatuto da Criança e do Adolescente (8.069/90), que hoje não traz essas regras. A lei atual fixa a separação apenas por critérios de idade, compleição física e gravidade de infração.

Autor da proposta, o deputado Hercílio Coelho Diniz (MDB) tem como objetivo evitar a ocorrência de violência sexual contra as internas.

O texto admite o trabalho de pessoas do sexo masculino nas unidades de internação de meninas excepcionalmente por tempo não superior a seis meses, mediante justificativa fundamentada da diretora do estabelecimento do órgão supervisor. “Alguns órgãos podem não dispor de servidoras mulheres e entendermos que esse período é razoável para que as medidas administrativas para a solução desse problema sejam tomadas”, justificou o parlamentar.

Tramitação
A proposta será analisada em caráter conclusivo pelas comissões de Defesa dos Direitos da Mulher; de Seguridade Social e Família; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO