Manifestantes fecham ferrovia durante a tarde desta segunda-feira

O protesto foi contra a Fundação Renova

Rede Alerta


Apesar do protesto, a circulação do trem foi normalizada antes das 17h desta segunda

Com atualização às 13h30
Um grupo de manifestante fez um protesto, na tarde desta segunda-feira (12), na Estrada de Ferro Vitória-Minas, no distrito de Baguari, em Governador Valadares. Com isso, a circulação do trem de passageiros ficou interrompida por algumas horas. No entanto, a assessoria de Comunicação da Vale informou, ao Diário do Aço, que a circulação do trem foi normalizada antes das 17h desta segunda. O motivo do protesto seria contra a Fundação Renova, que é responsável por gerir os programas de reparação, restauração e reconstrução das regiões impactadas pelo rompimento da barragem de Fundão, em Mariana, ocorrido em novembro de 2015.

Por meio de nota, a Fundação Renova informou que entende como legítima a manifestação em Baguari e reafirma estar aberta à escuta, ao diálogo e à participação social como práticas norteadoras de suas ações. A Fundação Renova esclarece ainda que está trabalhando para responder todos os processos indenizatórios no menor período de tempo possível. "O ambiente de alta informalidade que predomina no território atingido, onde a maior parte dos danos não pode ser comprovada documentalmente é o maior desafio para o pagamento das indenizações, que acontece em uma escala inédita no Brasil. Foi necessário ouvir e construir coletivamente, com as comunidades impactadas, os critérios para a efetivação de uma indenização justa, levando em conta ainda a diversidade de danos e a individualidade de cada acordo", concluiu a nota.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO