Projetos de leis preveem reabertura de cassinos

Duas propostas acabam com proibições dos jogos de azar

Uma surpreendente virada política no debate sobre jogos de azar pode representar a sorte grande para o setor turístico de Minas Gerais, e o grande azar para todos os que são contra a liberação da prática. De acordo com o Games Magazine, foi entregue ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, um pedido formal para votar a legalização dos jogos de azar até o mês de setembro.

O pedido foi entregue por Newton Cardoso Júnior (MDB-MG), presidente da Comissão de Turismo da Câmara dos Deputados, e vem com uma emenda em relação ao texto original ao PL 442/1991. Além da aprovação dos jogos de azar (cassinos, salas de caça-níqueis ou slots e até o jogo do bicho) e do projeto já conhecido de permitir um número de cassinos por estado de acordo com o número de habitantes (1 cassino em estados até 15 milhões; 2 cassinos, entre 15 e 25 milhões de habitantes; 3 cassinos para estados com mais de 25 milhões, que é o caso de S. Paulo), a emenda prevê que as cidades com estâncias hidrominerais e que já tenham tido cassinos no passado possam voltar a tê-los.

Direito histórico

Seria um direito com base na História e seria histórico, também, que Minas pudesse ter uma situação de benefício de exceção em relação ao resto do Brasil – ou de malefício, dependendo da posição de cada um sobre esse tema. O setor do turismo não tem dúvidas: a atividade dos cassinos é considerada como uma “âncora”, um fator de atratividade em qualquer parte do mundo. Não foi só Las Vegas que se desenvolveu nos últimos 70 anos; em vários países, como Portugal, Itália e principalmente nossos vizinhos do Cone Sul, os cassinos servem como atrativo para o turismo internacional.

O Games Magazine cita o presidente do Instituto Brasileiro Jogo Legal (IBJL), Magno de Souza, que defende que a abertura de cassinos nas cidades mineiras pode representar a criação de 18 mil empregos.
Que cassinos poderão abrir em Minas?

O PL 442/91 e o 186/14 projetaram a ideia do cassino resort, uma facilidade de grandes dimensões com a mais completa infraestrutura turística: restaurantes, hotéis, salas de espetáculos, piscinas e tudo o mais. O maior empresário de cassinos de Las Vegas, o veterano Sheldon Adelson, pretende criar um complexo de jogo imenso no Rio de Janeiro. Se só vai ter espaço para dois cassino em todo o estado do Rio de Janeiro, isso é compreensível.

Os cassinos de Minas poderão fugir um pouco a essa regra e ser mais flexíveis em seus quesitos. Entretanto, em seu conjunto e com a vontade de investir que existe na atualidade, eles têm a possibilidade de virar um nicho turístico de jogo muito forte na América do Sul.

Relembre quais as cidades mineiras que tiveram cassinos no passado

Foram oito as cidades de Minas onde funcionaram cassinos até à proibição de 1946: Belo Horizonte, Araxá, Cambuquira, Caxambu, Conceição do Rio Verde, Lambari, Poços de Caldas e São Lourenço.

Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO