Ipatinguense é acusado de tentar matar ex-patrão nos EUA

O suspeito havia trabalhado para a vítima, que ficou lhe devendo mais de US$ 1 mil depois de demiti-lo

O ipatinguense de 31 anos, que reside em Framingham (Massachusetts), nos Estados Unidos, é suspeito de ameaçar de morte seu ex-chefe. O caso ocorreu no último domingo (4), quando o acusado usou uma faca nas ameaças e depois quebrou a janela do carro da vítima, segundo relatou as autoridades locais.

M.O.S. foi encaminhado para uma audiência no Tribunal Distrital de Framingham na segunda-feira (5). O promotor Bayley Weese informou que a polícia prendeu o mineiro de Ipatinga do lado de fora de seu apartamento no 149 Irving Street, por volta das 19h30 de domingo.

O suspeito havia trabalhado para a vítima, que ficou lhe devendo mais de US$ 1 mil depois de demiti-lo. No domingo, o mineiro publicou uma mensagem depreciativa no Facebook sobre seu ex-chefe e afirmou que “só apagaria a publicação se recebesse o dinheiro que lhe era devido”.

O ex-chefe foi ao apartamento de M.O. para realizar o pagamento devido. Os dois entraram em discussão depois que o homem deu pouco dinheiro ao ex-funcionário. O ipatinguense se armou com um martelo e uma faca e proferiu ameaças. "Ele disse ao ex-patrão que iria pegar o dinheiro, comprar uma arma e matá-lo", disse o promotor.

O acusado pegou uma perna de mesa que estava no lixo e perseguiu o homem até o seu carro. Ele então quebrou o para-choque e a janela do veículo. A vítima sofreu um grande corte na mão durante a briga e teve que receber sete pontos, conforme informações do promotor.

Quando a polícia questionou o ipatinguense, ele admitiu que perseguiu seu ex-chefe com a perna da mesa e danificou o carro. A polícia prendeu M.O. por agressão com uma arma perigosa (faca), ameaçar cometer um assassinato e causar danos ao veículo.

O promotor pediu ao juiz Matthew McGrath que determinasse uma fiança de US$ 250 e que o acusado ficasse longe e não tivesse contato com a vítima.

A advogada do brasileiro, June Jensen, argumentou que seu cliente havia cooperado com a polícia, admitindo ter perseguido a suposta vítima e batido em seu carro com a perna de madeira da mesa. No entanto, segundo ela, o incidente foi parte de uma luta mútua iniciada pela suposta vítima.

McGrath libertou M.O. sem pagamento de fiança. Ele também concedeu à vítima uma ordem de restrição, ordenando que o ipatinguense fique longe dele. O mineiro deve voltar ao tribunal no dia 1º de outubro para uma conferência de pré-julgamento. (Com informações do jornal Brazilian Times)
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO