Duplicação da BR-381 vai até Governador Valadares, confirma governo

Pelo edital, a obra de duplicação começará na região da cidade de Caeté

Divulgação Nova 381


Duplicação será realizada até Valadares e não somente até Belo Oriente; previsão do governo é que as obras sejam concluídas antes do prazo

Durante encontro do senador Carlos Viana (PSD-MG) com representantes da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), a direção da agência informou que os trechos duplicados da BR-381, no segundo ciclo, será até Governador Valadares, e não até Belo Oriente, como havia sido divulgado por alguns meios de comunicação.

Na reunião realizada na quarta-feira (7), a direção da ANTT afirmou ainda que a expectativa do governo federal é completar e entregar as obras da 381 antes do prazo previsto, que é de 20 anos, informou o senador.

Pelo edital, a obra de duplicação começará na região da cidade de Caeté. No entanto, o senador declarou que tentará convencer o governo para que a duplicação comece em Belo Horizonte. “Estamos tentando, nas audiências públicas e em conversas com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, que ele possa incluir no edital já o trecho de BH até Caeté também. Sabemos da dificuldade, devido as desapropriações que devem ser feitas na região, mas estamos tentando”, disse.

Tarifa
A intenção do governo é que a empresa vencedora assuma a BR-381 no meio do ano de 2020. A empresa só poderá começar a cobrar pedágio um ano após efetivamente assumir a estrada.

Ainda de acordo com o cronograma da ANTT, nos dois primeiros anos da concessão serão feitas intervenções emergenciais na via e, a partir do terceiro ano, terão início as obras de duplicação da rodovia.

A previsão de investimento por parte da empresa privada, incluindo a BR-262 de João Monlevade a Viana (ES), que também será concedida à empresa, é de R$ 9,1 bilhões, e mais R$ 5 bilhões em custos operacionais. A concessão terá o prazo de 30 anos.

O projeto prevê que a concessão terá a tarifa do pedágio no modelo “dinâmico”, ou seja, um valor menor nos locais em que a pista for simples (mínimo de R$ 7,51 e máximo de R$ 8,54) e um valor maior onde a estrada já estiver duplicada (entre R$ 9,76 e R& 11,10).
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Miqueias 16 de Agosto, 2019 | 11:07
Responsável dessa vergonha é o deputado Carlos Viana
Francisco Moledo 11 de Agosto, 2019 | 01:09
Tudo bem! já querem arrumar mais um imposto para o povo mas, será que vão baixar o IPVA ou cancelar esta vergonha de taxa que cobram para liberar nosso documento novo?
Enivaldo 10 de Agosto, 2019 | 10:31
Mais milhões de vezes seremos massacrados pelas cobranças de pedágios. E o IPVA, taxa de licenciamento etc vai continuar. É muito fácil tirar dinheiro desse povinho, q paga calado. E me vem uns ignorantes falar q pagar pedágio é muito bom pois as estradas são melhores. Mas já não pagamos para isso?
Ardiles Vieira 10 de Agosto, 2019 | 06:35
Milhões sendo roubados do DNIT de MG e mais uma vez o povo terá que arcar com a duplicação com o pagamento de pedágio. Acorda Povo.
Alan Garcia 09 de Agosto, 2019 | 23:29
O cidadão sempre paga, para que qualquer obra seja realizada (impostos diversos). Agora, pagar para uma empresa, realizar a duplicação é muito complicado. Sabemos que a empresa terá custos de operação e lucro sobre o valor arrecadado.
Porque não cria uma espécie de conta para que todos usuários "paguem" esse pedágio direto sem descontos (custos e lucro), e seja todo esse valor empregado na obra.
Leoncio Simoes 09 de Agosto, 2019 | 21:46
Kkkk 20 anos?
Paulo Gonçalves Soares 09 de Agosto, 2019 | 17:20
Não tem graça nenhuma ,duplicar pela metade!Tem que ser de BH até Goval .
Adair da Silva 09 de Agosto, 2019 | 13:32
Eu conheço está estrada o certo é duplicar de BH até GV em Belo Oriente já tem um trecho duplicado o problema é à corrupção ñ deixar fazer nada pra sociedade os políticos são todos iguais
Ferreira 09 de Agosto, 2019 | 09:17
Quando terminar não vou nem saber dirigir mais
Fernando 09 de Agosto, 2019 | 08:30
Vergonha se cobrar pedágio em uma estrada horrorosa desta!
Moacir Barbosa de Figueiredo 09 de Agosto, 2019 | 07:35
Primeiro necessita que a BR 381 seja DUPLICADA até Belo Horizonte, uma vez que o pior trecho ,ainda não foi licitado (trevo de Caete até BH) . Participamos de 13 mobilizações no intuito de cobrar do Governo Federal a realização desta obra da BR381. POR ÚLTIMO NÃO ACEITAMOS A COBRANÇA DE PEDÁGIO ANTES DA CONCLUSÃO DA OBRA! CHEGA DE PREJUÍZO!!!.
João Mares do Nascimento 09 de Agosto, 2019 | 07:32
Creio que esta duplicação da rodovia vai reduzir bastante os acidentes so os pedagios que vai ser salgados vamos rever estes preços parabéns aos governantes.
Maurício Vianna 08 de Agosto, 2019 | 23:39
Considero um absurdo cobrar mais de 7 reais numa rodovia de pista simples. Nesses trechos, o valor adequado deveria ser de no máximo R$3,50! E nas partes duplicadas, o máximo de R$8,50! Os valores já estão começando num preço muito alto, fora da realidade.
Evaldo Assis 08 de Agosto, 2019 | 21:06
Só o Senador Viana está empolgado com este projeto! Será porque viaja de avião à nossas custas? Pagamos com nosso sangue o abandono da 381! agora pagaremos com nosso suor e lagrimas!
Marcos 08 de Agosto, 2019 | 20:46
É triste a forma como está sendo debatido o assunto. Cobrar pedágio de rodovia que não é duplicada e ainda ter que esperar 20 anos para duplicar!!! Sem contar com o isolamento da Cidade de Naque, que vai ficar entre dois pedágios, para chegar a centros comerciais / distribuidores.
Cadê os políticos da região que prometeram fazer a diferença...

Isso sim, é uma Vergonha!!!
Barrabas 08 de Agosto, 2019 | 17:41
Se vai ser duplicada ate valadares em qual seculo porque a intencao deste governo e so arecadar com pedagio .fala isso e para acalmar o povo sobre o pedagio.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO