Os plásticos em componentes da engenharia de outros produtos

Alexandre Farhan e Camila Falcari *

Muito se tem falado sobre os problemas de sustentabilidade do plástico em diversos segmentos. Na verdade, mais do que atacar o doente para matar a doença, é preciso ir à causa, e não ao efeito. Então, para sanar os problemas dos dejetos plásticos é necessário que as coletas seletivas sejam adotadas com mais rigor em todas as esferas. Os materiais plásticos definitivamente conquistaram o seu lugar no mundo e parece ser impossível serem substituídos em alguns componentes e peças, especialmente nos chamados Polímeros de Engenharia. 

Com o avanço constante das tecnologias e novidades de mercado, tornou-se necessária a criação de algum material que pudesse realizar ou suprir, como matéria-prima, inúmeros produtos ou outros artefatos. E os plásticos são materiais que suprem muitas dessas necessidades, além de proporcionar praticidade e inovação única.

Já ficou claro que selecioná-los adequadamente para uma aplicação vai além de se obter algum tipo de vantagem econômica. O objetivo dos Polímeros de Engenharia é valorizar o bom desempenho, garantia de qualidade, segurança das pessoas e até mesmo como uma forma de proteção para o meio ambiente. Há cerca de dois anos, por exemplo, uma importante fábrica de caminhões, passou a usar embreagens totalmente de plástico. Antes elas eram feitas de almas metálicas e recobertas com camadas plásticas. Isso só foi possível porque esses materiais apresentam propriedades capazes de substituir um metal. Um exemplo disso é a Poliamida (ou 'Nylon'), que suporta boas exigências mecânicas, térmicas e químicas, dentre outras características.

Hoje em dia, as áreas de aplicações são variadas, abarcando a indústria automobilística, aparelhos eletrônicos, eletrodomésticos, embalagens, indústria alimentícia, têxtil, de cosméticos e hospitais. No ramo automobilístico, materiais de engenharia permitem aos desenvolvedores de produto criar designs complexos para as peças terem grande desempenho.

Para os eletrônicos e eletrodomésticos, além de exigirem boa resistência térmica, as peças feitas com esses polímeros também permitem a concepção de um design que chama muito a atenção do cliente. Já as indústrias têxteis contam com a Poliamida para a produção de roupas, tapetes e afins. Ou seja, observando essas questões, podemos ter a noção da importância destes materiais e notar a maneira que eles atuam no nosso cotidiano e se fazem tão presentes e indispensáveis. 

A Poliamida - ou Nylon - é um polímero conhecido e utilizado na indústria, onde apresenta elevadas propriedades mecânicas, principalmente quando são sujeitos a altas temperaturas ou solventes. Foi um dos primeiros materiais a serem considerados como Polímero de Engenharia, por causa das suas ótimas propriedades. Foi desenvolvida no início da Segunda Guerra e seu principal uso foi na fabricação de paraquedas. O fato importante é que, a partir da descoberta do Nylon - ou Poliamida -, principalmente a Europa e América deixaram de ser dependentes da seda japonesa. Foi no momento em que os Estados Unidos tinham atritos nas relações diplomáticas e comerciais com o Japão, por causa do pós-guerra. Há uma história de que o nome Nylon seria uma afronta aos japoneses, cuja tradução seria: "Now you´ve lost, old nippon" (Agora você perdeu, velho Japonês).

Por fim, vale ressaltar que, a cada momento, materiais como esse estão sendo analisados, estudados e melhorados para garantirem ainda mais sua performance e suprirem as necessidades do mercado mundial.
 
* Alexandre Farhan, diretor-técnico, e Camila Falcari, técnica em plásticos e aluna da Escola LF de cursos profissionais em plásticos. (https://escolalf.com.br/)
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO