Pedra da Amizade 27 anos

Centro Cultural realiza solenidade comemorativa nos jardins do Sindipa, em Ipatinga

O Centro Cultural Internacional Tikufukai promove, nesta quinta-feira (8), a partir das 9h, a solenidade comemorativa dos 27 anos de implantação da Pedra Monumental da Amizade, nos jardins da sede do Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Ipatinga (Sindipa).

O evento terá participação de alunos de escolas da cidade e inclui leitura de uma mensagem enviada do Japão pela presidente da entidade, Kofu Nomura, pronunciamentos de representantes do Sindipa e da Tikufukai e plantio de uma muda arbórea, que será feita por representantes do Centro Cultural, Sindipa e Cenibra.

Divulgação/Arquivo


A Pedra da Amizade resiste ao tempo nos jardins do Sindipa
Também será feita uma apresentação de ginástica japonesa, denominada Radio Taissô, que pode ser praticada por crianças e adultos, mas é especialmente recomendada para pessoas da terceira idade e para pessoas que trabalham longos períodos na mesma posição.

Uma apresentação de palhaçaria dará o tom de descontração e alegria do evento, que será encerrado com uma oficina de origami – arte japonesa de dobradura de papéis – para crianças e adultos.

Tikufukai
O Centro Cultural Internacional Tijufukai foi fundado pelo professor japonês Tikufu Ota, que, em 1992, veio ao Brasil para a implantação da Pedra Monumental da Amizade nos jardins do Sindipa, um bloco granítico de 2,20 metros de altura por 1,20 de largura pesando cerca de meia tonelada, doado pelo empresário Durval Pinheiro.

Com uma tinta indelével à base de carvão, usando uma tradicional técnica japonesa, Tikufu pintou os caracteres japoneses representando a palavra amizade, em japonês: Yukô. Dez dias, Tikufu Ota faleceu em Ipatinga, e aqui foi sepultado.

Nascido em novembro de 1910 na cidade de Tottori, ilha de Honshu, no Japão, Tikufu Ota era graduado em Pedagogia e estudou cerâmica japonesa por mais de 35 anos.

Um dos seus objetivos de vida era incentivar a cultura do espírito e do coração através da ikebana, uma secular arte de arranjos florais. Seu princípio básico era “O amor pelas flores leva o amor às pessoas, e consequentemente, leva a paz ao mundo”.

Após a II Guerra Mundial e os desastrosos efeitos dos ataques nucleares contra Hiroshima e Nagasaki, o professor Tïkufu decidiu levar o ensino da ikebana ao mundo.

Anos mais tarde, surgiu o Centro Cultural Internacional Tikufukai. Uma das filhas de Tikufu Ota, Kikuko Inoue, veio com o marido Kenji para o Brasil, radicando-se primeiro no estado do Pará e, depois, em Ipatinga, onde a Tikufukai ganhou força e renome.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO