Moradores de Naque protestam contra a implantação de pedágio

A proposta da tarifa básica de pedágio, por praça, é de R$ 8,54 para pista simples e R$ 11,10 para pista dupla

Divulgação


Protesto foi realizado entre os limites dos municípios de Belo Oriente e Naque, na manhã de ontem

Insatisfeitos com a possibilidade de cobrança de pedágio na BR-381, moradores de Naque protestaram na manhã desta quarta-feira (31). Recentemente, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (Antt) divulgou informações sobre o programa de exploração da rodovia e os estudos de viabilidade para concessão de 673,82 km da BR-381/262/MG/ES, e que prevê a instalação de implantação. Hoje (1º), parte da população irá a Governador Valadares, onde ocorre audiência pública para abordar o assunto, a partir das 8h30.

A proposta da tarifa básica de pedágio, por praça, é de R$ 8,54 para pista simples e R$ 11,10 para pista dupla. O empresário Estevão Amaral destaca que, primeiramente, o valor previsto para a cobrança é abusivo. “Temos viajado pelo Brasil, por estradas privatizadas e o pedágio é R$ 2,50. Aqui, se fizer o trajeto de Valadares até Ipatinga, irá gastar R$ 38, aproximadamente. Outro detalhe é que a praça de pedágio está prevista para ser instalada em Belo Oriente, sentido Ipatinga, logo após a Cenibra, o que iria atingir a empresa, além de Açucena, Cachoeira Escura e acabaria com a economia local. Uma empresa que pretende se estabelecer terá um custo elevadíssimo no trajeto e provavelmente irá para um local onde não haja essa cobrança”, avalia.

Estevão acrescenta que o comércio local pode sofrer prejuízos, podendo ocasionar uma bola de neve, com demissões e também crise no setor imobiliário. “O fato é que não vemos benefício, a rodovia não vai ser duplicada de Belo Oriente pra cá e teremos um pedágio. Por isso, estamos reivindicando a mudança da cobrança desse pedágio de Belo Oriente e também de Periquito, que está previsto para próximo à represa de Baguari. Historicamente, Periquito resolve suas questões em Valadares e a população de Naque em Ipatinga, pois nos sentimos mais próximo e recorremos a serviços na cidade. Essa cobrança pode causar prejuízo e dano à economia local, dificultando a vida das pessoas daqui”, aponta.

Audiência

Nesta quinta-feira (1), os moradores irão a Governador Valadares. Durante a audiência pública, na União Ruralista Rio Doce (rua João Dias Duarte), bairro São Paulo, das 8h30 às 12h30, eles querem ser ouvidos. A audiência foi convocada pela ANTT. Dois ônibus sairão de Naque levando moradores para o local. “A partir dessa audiência, vamos escutar o que vão dizer e se haverá condições de atender. Caso sim, ótimo. Senão, teremos novos protestos, fechando a rodovia, fazendo barulho até que alguém escute a gente. É um absurdo essa cobrança. O exemplo que dou, para facilitar a compreensão, é se colocassem pedágio no bairro Bethânia e tivesse que pagar um valor para ir até o Centro de Ipatinga. Estaria na mesma situação”, conclui Estevão Amaral.

Edital

Conforme divulgado pela ANTT, a concessão consiste na exploração, por 30 anos, da infraestrutura e da prestação do serviço público de recuperação, conservação, manutenção, operação, implantação de melhorias e ampliação de capacidade das rodovias: BR-262/ES, no trecho entre a divisa ES/MG e o entroncamento com a BR-101/ES (Viana); BR-262/MG, no trecho entre BR-381/MG (João Monlevade) e a divisa ES/MG; e BR-381/MG, no trecho entre o entroncamento com a BR-262 (Sabará) e o entroncamento com a BR-116/MG (Governador Valadares).

Estão previstos R$ 9,1 bilhões em investimentos e R$ 5,6 bilhões em custos operacionais para os 30 anos de concessão. Entre as principais obras estão previstas a duplicação de 595,4 km da rodovia, 42,4 km de faixas adicionais e a construção de 54 passarelas para a sociedade. A proposta da tarifa básica de pedágio, por praça, é de R$ 8,54 para pista simples e R$ 11,10 para pista dupla.

Já publicado
BR-381 poderá ter pedágios com preços a partir de R$ 9,52
Apresentado projeto de concessão das BRs 381 e 262
Trecho inaugurado na BR-381 custou R$ 412,6 milhões
''Essa história de rodovia da morte vai acabar por aqui''
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Mente Aberta 01 de Agosto, 2019 | 15:37
Só quem já transitou em rodovia duplicada e segura sabe o que é pagar pedágio. Europa e EUA pude ter o prazer de pagar pedágio!
Robson 01 de Agosto, 2019 | 11:50
Para se cobrar pedágio, primeiro se duplica e faz melhorias nas estradas e depois, com o consenso da população que paga os impostos, se discute o valor do pedágio. Absurdo esses valores divulgados. Não pode custar mais de 2 reais por praça!
Brasileiro Palhaço 01 de Agosto, 2019 | 09:21
É UM ABSURDO COBRAR TAIS VALORES. NO MÁXIMO, PODERIA SE COBRAR ENTRE 2 E 3 REAIS POR PRAÇA DE PEDÁGIO E SOMENTE DEPOIS DE DUPLICADA INTEGRALMENTE A RODOVIA.

ACONTECE QUE AS CONCESSIONÁRIAS QUE PRETENDEM LEVAR ESSA DINHEIRAMA TODA COM ESTAS COBRANÇAS ABUSIVAS SÃO FORMADAS PELOS PRÓPRIOS POLÍTICOS. POR TAL RAZÃO, ELES PRETENDEM SOLUCIONAR ISSO RAPIDAMENTE, PRA CADA UM LEVAR SUA FATIA ETERNA.

É INADMISSÍVEL ESTES VALORES. SURREAL. ACORDEM MEU POVO!! VAMOS PARA AS RUAS MOSTRAR QUE ESTAMOS ATENTOS E NÃO ACEITAREMOS ESSA CANALHICE!!
Ricardo 01 de Agosto, 2019 | 07:36
Recado aos inconformados; os benefícios gerados por uma duplicação de pista, uma rodovia com todos os aparatos de socorro aos motoristas, uma pista de rolamento sempre conservada. Com certeza, vale os valores cobrados de pedágio, Quem reclama, é porquê nunca transitou em pista pedagiada, A nossa região está ilhada, empresas não se interessam em se instalar aqui, nosso corredor de escoamentos de cargas, acredito só não é
pior que a transamazonica.
O Cobra 01 de Agosto, 2019 | 07:03
Se a situacao do vale do aco e vale do rio doce esta ruim este pedagio veio pra agravar ainda mais a situacao .o povo tem lutar nao o pedagio.
Juca 01 de Agosto, 2019 | 06:42
Pedágio com rodovia segura? Eu apoio! Pago pedágio sorrindo!!
Zoio de Zoiar 31 de Julho, 2019 | 22:43
Um grande absurdo isso aí, para não dizer aberração. Usa-se o dinheiro a vários anos para fazer paleativos na rodovia e depois entrega de bandeja para iniciativa privada explorar a população com cobranças abusivas. Nada mudou na República "Democrática " Brasileira. Deveríamos chamar essa cobrança de assalto legalizado pela União.
Barrabas 31 de Julho, 2019 | 21:17
Este orgao,do governo chamado ANTT esta testando paciencia da populacao e so no Brasil mesmo cobrar pedagio de estrada que nao existe estrada pessima e ainda pagar pedagio nunca vi isto se quer cobrar pedagio faca a estrada duplicando depois cobra pedagio.
Jose Maria Ribeiro Barbosa 31 de Julho, 2019 | 20:07
Eu votei no Zema, votei Bolsonaro e só vejo decepções meus mineiros brasileiros.
Jornalista! pergunte para nossos políticos o porque foi feito com nosso dinheiro todos os trechos de rodovias neste Brasil, e após concluídas vem com este negócio de privatizar para terceiros encher o bolso e nós que pagamos para construí-las agora temos desembolsar para pedágio, vergonha que corrupção disfarçada.
E o nosso IPVA como fica?, não vamos mais pagar responda para o povo brasileiro.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO