Prefeito oferece recomposição salarial aos servidores públicos e ganho real de 1,07%

O Chefe do Executivo destaca que tem priorizado a valorização do servidor público, assim como dos aposentados

Wôlmer Ezequiel


As secretárias de Educação e Administração, Eva Sônia e Bruna Rocha, ao lado do prefeito Nardyello Rocha

O prefeito de Ipatinga, Nardyello Rocha (Cidadania), informou à imprensa a recomposição salarial que o município deve pagar aos servidores públicos e aposentados. Conforme anunciado na tarde de ontem, será paga a inflação do período, de 3,43%, retroativa a 1º de janeiro. Já a partir de 1º de junho, será aplicado índice de 1,07% de ganho real. Tal proposta será apreciada pela categoria e, posteriormente, levada à Câmara de Ipatinga.

O Chefe do Executivo destaca que tem priorizado a valorização do servidor público, assim como dos aposentados. Na terça-feira (9), Nardyello esteve reunido com representantes do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (SindUTE) e Sindicatos dos Servidores Municipais de Ipatinga (Sintesrpi), quando assumiu compromisso de, ainda nesta semana, encaminhar o ofício com o que pudesse ser pago aos servidores.

“Conversei com as representantes, que hoje receberam documento oficial e levarão à apreciação da categoria. A partir do momento em que aceitem, encaminharemos ao Legislativo para homologação. Quanto mais rápidos forem, mas rápido irão receber. Será retroativo a janeiro, coisa que não acontecia há muito tempo. Estamos pegando a inflação do período, que é 3,43%, retroagindo a 1º de janeiro e vamos, a partir de 1º de junho, aplicar um índice de 1,07% de ganho real”, destacou.

Nardyello ainda lembrou que os índices são extensivos aos aposentados e que, antes dele assumir a prefeitura, nem recebendo salário os aposentados estavam. “Representam na folha quase R$ 5 milhões e vão receber o reajuste e o ganho real, que não é obrigação do governo, mas sim uma prerrogativa e que optamos por estender. Eu tinha duas opções, ou acrescentava no vale-alimentação algum valor ou no ganho real, e escolhi a segunda, porque assim o levará para o resto da vida, fazendo parte de suas férias, 13º, entre outros direitos. Os índices estão nos nossos limites e dificilmente alguma cidade, vivendo a situação que estamos vivendo, conseguiria oferecer isso. Estamos retroagindo a janeiro e deixando zero de perdas. Agora é aguardar a decisão da categoria”, disse.

Fundeb
Sobre os repasses do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), o prefeito informou que, no ano passado, os débitos chegaram a quase R$ 30 milhões. No mês de janeiro, foram retidos mais R$ 15 milhões de Ipatinga, também referente a índices constitucionais. “Neste momento, o Estado vem procurando regularizar essa situação e isso já é algo que nos dá condições de projetar alguma coisa. Mas nos convênios, principalmente referentes à saúde, os números não foram regularizados e isso reflete na fonte 100 (que concentra os recursos que podem ser empregados livremente pelo Executivo), que é de onde, também, tiramos dinheiro da folha de pagamento. Porque 60% é pago com Fundeb, mas os outros 40% vem de recursos próprios. Quando tenho de tirar para outras situações, automaticamente desfalca o que seria utilizado para pagar a folha. Mas Ipatinga é a cidade dos milagres, Deus tem operado de uma forma maravilhosa”, celebrou.

Dificuldades
Questionado sobre suas prioridades em Ipatinga, o prefeito assegurou que as pessoas são o foco. “Tenho tentado garantir a folha de pagamento. Hoje, Ipatinga é uma das maiores empregadoras, a máquina é grande. E depois temos priorizado saúde e educação, além dos cuidados básicos de limpeza. É bom salientar que Ipatinga carrega sobre si, praticamente, todo atendimento do SUS de nossa região. Bom Jesus do Galho está com hospital fechado porque não recebe repasse. Ipatinga tem R$ 80 milhões para receber, mas eu não fechei, nem por isso vou passar cadeado na Unidade de Pronto Atendimento. O Vital Brazil (Timóteo) e Caratinga também estão inflando o atendimento daqui. Mas não posso jogar as pessoas na rua. Vou fazer o quê?”, salienta.

Economia
Nardyello Rocha avalia o cenário econômico como positivo, quando se projeta a injeção financeira que os reajustes e pagamentos em dia propiciam. “Os números falam por nós. Ano passado, quando voltamos a pagar o aposentado, Ipatinga atingiu a marca de primeira cidade que mais gerou novos empreendimentos e unidades sendo instaladas na cidade. Números da Junta Comercial. Agora, mostra que é a terceira cidade que tem gerado mais postos de emprego. Isso é a economia sendo ativada, principalmente pela injeção de recursos. A cidade é uma das poucas a pagar no primeiro dia útil, a economia agradece e a cidade fica mais pujante”, concluiu.


Prefeito oferece recomposição salarial aos servidores públicos e ganho real de 1,07%
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Gildázio Garcia Vitor 12 de Julho, 2019 | 12:52
ERRATA: no comentário de ontem errei as datas em um século, já deve ser o alzheimer. Portanto, o período é de 2014 à 2019. Em uma recente aula no Mayrink, escrevi no quadro solo "cançado". Por isso e por outras, não podemos aposentar tão velhos.
Gildázio Garcia Vitor 11 de Julho, 2019 | 16:04
Esta recomposição está considerando qual período? De 1º/1/19 à 1°/7/19?! Por quê? A nossa defasagem, considerando o período de 1914 à 1919, é de aproximadamente 31,4%. Daqui a pouco, até o município de Santana do Paraíso conseguirá remunerar os seus servidores melhor que Ipatinga.
José Gonçalves 10 de Julho, 2019 | 20:39
Este é o Nardiello q conheço bem, humano e muito bom gestor,fez isto na camará onde foi Presidente por 4 mandatos, e agora esta esta executando na Prefeitura, parabéns NaNa

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO