Fim dos simuladores nos Centros de Formação

Portaria publicada pelo Contran começa a valer em 90 dias; expectativa é reduzir custo para tirar a CNH

Wôlmer Ezequiel


Com fim da obrigatoriedade, a quantidade de horas-aula que o novo motorista tem que cumprir antes de retirar a carteira cairá de 25 para 20 horas

Por decisão do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), publicada na quinta-feira (13), o uso de simuladores na formação de motoristas não será mais obrigatório. Segundo o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, que preside o Contran, o uso do simulador será opcional. A expectativa é que, com o fim da obrigatoriedade do simulador, os centros de formação de condutores reduza os preços dos seus serviços. Tirar uma CNH atualmente, incluindo taxas do Estado e os serviços das autoescolas custa mais de R$ 2 mil.

A mudança, que havia sido defendida pelo presidente Jair Bolsonaro em fevereiro, começa a valer em 90 dias. Na avaliação de Freitas, a retirada dos simuladores vai reduzir a burocracia e baixar, em até 15%, o custo para tirar a CNH.

Com fim da obrigatoriedade, a quantidade de horas-aula que o novo motorista tem que cumprir antes de retirar a carteira cairá de 25 para 20 horas. Segundo o ministro, quando a exigência do simulador começou a vigorar o aluno passou a ter que fazer 25 horas de aula, das quais, cinco horas no simulador.

O secretário-executivo do Conselho, Jerry Dias, acrescenta que o condutor que optar por usar o simulador agora poderá fazer até cinco horas-aula no equipamento. Assim, ele seria obrigado a fazer pelo menos 15 horas de aula prática no veículo. “São 15 horas obrigatórias no veículo. Ele pode fazer 20 horas no veículo ou, no mínimo, 15 horas no veículo, complementando com 5 horas no simulador", disse.

Dias afirmou ainda que hoje o Contran tem mais de 100 resoluções tratando da formação de condutores e que o conselho quer reduzi-las.

"O simulador não tem eficácia comprovada, ninguém conseguiu comprovar que é importante para o condutor. Nos países ao redor do mundo não é obrigatório, mesmo em países com excelentes níveis de segurança no trânsito", disse o ministro da Infraestrutura.

O secretário-executivo do ministério, Marcelo Sampaio, espera que auto-escolas que saíram do mercado possam voltar com o fim do simulador, o que também deve contribuir para baixar os custos para tirar habilitação. (Com informações da Agência Brasil e Contran)
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Mauro Souza Gomes 14 de Junho, 2019 | 13:02
Se o governo pensa que vai reduzir o custo para obtenção da CNH está redondamente enganado . Com certeza ,os Centros de Formação irao transformar esse custo em um outro artificio para arrecadar do aluno
.
Jeferson Fernandes dos Santos 14 de Junho, 2019 | 10:31
Tenho unha dúvida ,tenho o simulador pago na auto escola ,nao fiz nenhuma aula ,só paguei ,mas não comecei a fazer auto escola ,o que devo fazer ,como fica minha situação ????

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO