Muro da Vale fecha antiga passagem de pedestres entre Timóteo e Coronel Fabriciano

Após esse bloqueio, diversas reclamações foram enviadas ao Diário do Aço

Wôlmer Ezequiel


A Vale informou que a construção do muro tem como intuito evitar acidentes sobre a Estrada de Ferro Vitória a Minas

Utilizada há décadas como atalho, uma passagem utilizada por pedestres e ciclistas embaixo da ponte nova que interliga Timóteo e Coronel Fabriciano, sobre os trilhos da Estrada de Ferro Vitória a Minas, foi bloqueada. Na sexta-feira (7), foi concluída a construção de um trecho em um muro, que impede a travessia de pessoas nesse trecho. A partir de agora, quem quiser atravessar a linha férrea para chegar à ponte nova precisa utilizar uma passagem construída para acesso ao bairro Alegre.

Após esse bloqueio, diversas reclamações foram enviadas ao Diário do Aço. Conforme o presidente da associação do bairro Nova Esperança, em Timóteo, Marcílio dos Santos, muitos moradores utilizavam a passagem embaixo da ponte nova há décadas e ficaram insatisfeitos com essa mudança.

“Em março passado foi realizada uma reunião com os representantes da Vale, ocasião em que os moradores foram avisados do bloqueio da passagem. Cerca de 100 pessoas participaram desse encontro, no qual os representantes afirmaram que era necessário fechar de qualquer maneira a passagem para evitar acidentes. Nessa reunião, pedimos também a construção de uma passarela próxima à ponte nova, o que nos atenderia muito bem. Enquanto isso, as alternativas para se deslocar até Fabriciano ou é passar pelo bairro Alegre ou ir por meio de um bote”, afirmou.

Usuários reclamam
Para o auxiliar de movimentação de carga, Arley Martins dos Santos, que utilizava frequentemente a passagem embaixo da ponte nova, o bloqueio prejudicou sua rotina. “Tenho mais dificuldade para ir ao trabalho a partir de agora. Com essa alteração, preciso passar pelo caminho novo, no bairro Alegre, porém, essa rota aumenta 20 minutos no meu percurso, sendo que vou de bicicleta ainda. A pé demora mais. Além disso, quando chover, vai ficar difícil passar por essa nova passagem, já que é preciso subir um morro e passar no meio de carros ainda”, salientou.

Uma das alternativas dos moradores de Nova Esperança é utilizar um bote para ir até Coronel Fabriciano

O pedreiro José Juvenário da Silva contou ao Diário do Aço que há mais de 45 anos utilizava a passagem embaixo da ponte nova. “Tenho uma roça ali perto. Minhas propriedades estão presas lá agora, inclusive meus porcos e minhas galinhas. Estou tendo que contornar o muro até chegar onde posso atravessar. Ficou bem mais longe”, afirmou.

Bote
O mecânico de manutenção, José Santana Maia, destacou que após o bloqueio da passagem embaixo da ponte nova, prefere ir para Coronel Fabriciano por meio de um bote na travessia do rio Piracicaba. Pelo serviço paga o valor de R$ 1. “Fiquei muito prejudicado com tudo isso, assim como outros moradores. Agora estou utilizando o bote para atravessar o rio Piracicaba e chegar a Coronel Fabriciano, porque antes eu usava a passagem debaixo da ponte nova, sobre os trilhos da linha férrea”, informou.

Resposta
Procurada pelo Diário do Aço, a Vale informou, por meio de nota, que investe em ações para aumentar a segurança ao longo da Estrada de Ferro Vitória a Minas. “Entre as iniciativas para aumentar a segurança, está a construção de uma vedação da linha férrea entre os bairros Nova Esperança e Alegre, que teve início em setembro do ano passado. Serão construídos 6 quilômetros de muro em blocos de concreto, que representam um investimento de R$ 4,25 milhões”, destaca.

Uma passagem foi construída pela Vale para os moradores terem acesso ao bairro Alegre

A Vale também informou que, em maio deste ano, foi concluída a melhoria de uma passagem de pedestres, com caminho seguro, asfalto, iluminação e sinalização de advertência na região. “O projeto foi apresentado para prefeitura, vereadores e moradores vizinhos à obra, que puderam opinar e sugerir melhorias nas ações de intervenção. O ponto de travessia mais adequado foi identificado e oficializado a partir dessas reuniões”, conclui a nota.


(Repórter: Tiago Araújo)

Muro da Vale fecha antiga passagem de pedestres

Comentários

João 13 de Junho, 2019 | 18:14
Qual o intuito da empresa de gastar milhões pra vedar a ferrovia se não é a segurança das pessoas do local? Não misturem um problema com o outro, o que aconteceu com as barragens não tem nada a ver com isso. Esse lugar é muito perigoso para as pessoas.... só ver a quantidade de acidentes que já aconteceram lá. Como diz a própria matéria, é um atalho (clandestino) e não uma rota oficial. Vai pegar um atalho por dentro dos muros da Acellor ou da USIMINAS pra ver o que acontece com vc.
Tchê Qu?vara? 12 de Junho, 2019 | 16:10
Vale, vai preocupar com as centenas de vidas que vcs roubaram e com as milhares de vidas que vcs expõem a riscos com as suas barragens assassinas!
Tinho 12 de Junho, 2019 | 04:19
Com certeza poderia ser construída uma passarela naquele local. Entretanto, como proprietária ela pode fazer o que bem entender. Aos "críticos," vou lembrá-los dos tributos pagos e empregos gerados pela empresa.
Marcio Ribeiro 11 de Junho, 2019 | 20:59
Era só fazer uma simples passagem subterrânea. O tanto de tijolos que foram gastos dava p construir uma cidade inteira para pobres, incluindo igrejas católicas e evangélicas. Se tivessem construido um muro desse em Brumadinho teria salvo centenas de pessoas. A vale não gosta de pessoas.
Emerson 11 de Junho, 2019 | 19:46
Como foi avaliado pels prefeitura e lideranças, considerando uma via para pedestre, como fica a utilização para cadeirantes?
Alexander 11 de Junho, 2019 | 18:10
Deveria fazer acesso para veículos ligando Timóteo e Coronel Fabriciano à rodovia.
Gilberto dos Reis Vidal 11 de Junho, 2019 | 16:25
IREI DAR 30 DIAS , E UM ENORME BURACO NESTE MURO SERA FEITO E TODO MUNDO COMEÇA A PASSAR DE NOVO QUER VER ?... MATOU , SEPAROU FAMILIAS , ACABOU COM A FLORA E A FAUNA , AGORA VEM DAR UMA DE PREOCUPADA COM A SEGURANÇA DO PEDESTRE... VAMOS QUEBRAR TUDO....
Bolson 11 de Junho, 2019 | 14:11
VALE MATOU MAIS DE 200 PESSOAS E FICA DANDO UMA DE SANTINHA junta uma turma e quebra essa merda.
Judson éder de Aguiar 11 de Junho, 2019 | 13:49
Absurdo...Vale deveria ter vergonha de alegar acidentes como motivo de fazer isto. Até parece q se preocupa diante das catástrofes que suas barragens(BURRAgens) vem causando em MG. O CORRETO é construir PASSARELAS ELEVADAS BEM SEGURAS E FECHADAS P/ TRAVESSIA SOBRE LINHAS FÉRREAS.
SUAS OBRAS NAO SÃO LIMITES DE FRONTEIRAS OU DE MUNICÍPIOS PARA FECHAR ACESSOS DAS PESSOAS.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO