Engenheiro Cristiano Jorge Dias identificado como vítima em Brumadinho

Vítima atuava como coordenador de obras de empreiteira da Vale, na mina atingida por catástrofe

O Corpo de Bombeiros de Minas Gerais confirmou nessa quarta-feira (5), que o corpo encontrado inteiro em meio aos escombros da catástrofe da mineradora Vale, em Brumadinho, é de Cristiano Jorge Dias, de 42 anos, engenheiro coordenador de obras da Reframax, empresa terceirizada da Vale. Cristiano faria 43 anos no dia 7 de fevereiro, e deixou um filho.

Cristiano Jorge Dias é a 246ª confirmada na tragédia. Vinte e quatro pessoas continuam desaparecidas. Até agora, foram confirmadas 246 mortes. Hoje completa 133 dias de buscas na área da catástrofe, onde cerca de 150 revezam diariamente o trabalho, que emprega máquinas pesadas e caminhões na remoção de resíduos acumulados.

De acordo com o Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais, o corpo foi encontrado entre sete e nove metros de profundidade, o que surpreendeu a corporação.

“Acreditamos que o corpo tenha parado em uma pilha de minério, e no momento que bateu nessa estrutura, acabou não sendo levado para frente, por isso a gente acredita que acabou sendo mantido em condição mais adequada de preservação”, afirma o tenente Pedro Aihara.

Cristiano foi localizado por volta das 8h da terça-feira, na região do Terminal de Carga Ferroviário 3 (TCF 3). Pelo caminho percorrido pela lama, o terminal está localizado antes da área administrativa, frente de trabalho mais próxima do local do rompimento.

Os bombeiros acreditam que podem ser encontrados mais corpos na mesma área. “Existe a possibilidade de encontrar outros três corpos que possam estar nessa região. Estimamos isso pelo cruzamento de dados em relação onde as pessoas estavam”, conta.

CBMMG + Álbum pessoal

Cristiano Jorge Dias, de 42 anos, era engenheiro coordenador de obras da Reframax, empresa terceirizada da Vale


O Corpo de Bombeiros esclareceu que a identificação só foi possível por causa do serviço de inteligência, "a partir do cruzamento de dados de vítimas, relatos de quem trabalhava e vivia em locais próximos e também com estudo dos fluxos de lama. Dessa forma a gente conseguiu restringir esses locais e essas estratégias se mostraram acertadas para fazer a localização desse corpo”, explicou o tenente.

“Além disso, também tem imagens de câmeras de segurança que auxiliam. Pelo nível de detalhamento com ajuda da população, já temos o perfil de cada uma das 24 pessoas que permanecem desaparecidas”, completa.

Comentários

Ismael 06 de Junho, 2019 | 20:55
Deus abençoe e conforte a cada um dos familiares envolvidos nessa imensa tragédia.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO