Viagens não planejadas fazem as pessoas mais felizes

Esteja preparado para pegar as malas e partir sem grandes preocupações

Divulgação


Há pessoas que estão abertas para o inusitado, para o que der e vier. E essas, de acordo com um estudo, são mais felizes

“Vou pegar as malas e ir embora”. Quem nunca? Vai dizer que isso já não passou pela sua cabeça? Muitas coisas podem levar alguém a pensar assim. A frustração com o trabalho, o término de um relacionamento, a insatisfação com a rotina.

Mas, embora muitos de nós façamos planos para trabalhar e curtir uma viagem apenas nas férias, há pessoas que estão abertas para o inusitado, para o que der e vier. E essas, de acordo com um estudo, são mais felizes.

O levantamento da Travelzoo, editora de ofertas e experiências exclusivas, revela que 49% das pessoas entrevistadas e que se identificam como viajantes espontâneos tendem a ser mais felizes do que aquelas que não tem a mesma atitude. E o que seria um viajante espontâneo? Temos um grande exemplo a seguir.

Talita Horn tem 31 anos. Há quatro anos ela não estava na melhor fase da vida. Trabalhando bastante, mas sem muita motivação.

“Na minha primeira viagem inesperada, eu estava me programando para nas minhas férias ir fazer o caminho de Santiago de Compostela, eu estava toda programada, mas um amiga chegou e disse: Talita você não vai, você vai para Punta Cana comigo. Resolvi ir e na terceira noite da viagem, eu conheci um cara e me apaixonei, ele morava no Canadá.”

Passaram-se seis meses onde a Talita estava? No Canadá, e por lá ficou durante quatro anos. Depois desse tempo Talita voltou para o Brasil. O relacionamento também acabou terminando espontaneamente. Ela estava trabalhando doze horas por dia com massoterapia e então decidiu fazer uma Lipo. Mas novamente estava sem muito foco no Brasil, então conversando com uma prima que mora na Alemanha recebeu outro convite inesperado: “Prima, venha morar comigo na Alemanha”.

Talita não pensou duas vezes, pegou o dinheiro que investiria na cirurgia plástica e se jogou para a terra da Oktoberfest.

Hoje, ela já conheceu treze países. Como na Europa há facilidades para viajar , distâncias menores e valores mais em conta, ela tem conseguido viajar bastante. A última viagem foi para Bruxelas, na Bélgica, pagou dez euros na passagem de ônibus e de Bruxelas foi para Amsterdã na Holanda com mais dez euros.

Filhos não são empecilho para viajar

Viajar é bom e pouca gente discorda disso, mas muitos de nós colocamos barreiras ou vamos procrastinando nossos sonhos de sair pelo mundo afora. O dinheiro ou até mesmo um bebê podem ser fatores determinantes para não arrumar as malas. Um filho, seja ele inesperado ou não, pode pesar na hora de escolher uma aventura. Mas para alguns papais que gostariam de também entrar nessa porcentagem de “pessoas que fazem viagens não planejadas”, existem alguns caminhos.

Um desses caminhos é por exemplo, não ir para muito longe. Sua viagem espontânea pode ser de um fim de semana, por que não? Um passeio de carro saindo sábado pela manhã, e voltando domingo a noite. Aquele dia que você acorda, respira e pensa: Que dia maravilhoso para curtir a vida.

Ah, mas meu filho ainda é de berço… Para tudo há uma solução... como por exemplo os berços portáteis especiais para viagens, que são projetados para que os bebês durmam confortavelmente como se estivessem em casa. Leves, dobráveis, não ocupam muito espaço, podem ser colocados no porta malas do carro ou até mesmo dentro de ônibus. É o velho ditado: “Quem quer dá um jeito.”

Além disso, existem roteiros específicos onde os pais podem aproveitar um destino como o Uruguai e encontrar diversas atividades para as crianças, fazendo com que elas levem para sempre as lembranças na memória. Afinal, não levamos dessa vida nada material, mas nossas experiências… Isso nada pode tirar. Então, arrume as malas e, se surgirem dúvidas, deixe para explicar no caminho.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO