Corpo carbonizado é localizado na estrada dos Cocais, em Fabriciano

Policiais militares localizaram o cadáver após informações anônimas repassadas via 190 no fim da tarde de segunda-feira

Wikipedia


O corpo foi encontrado em uma da margens da estrada de acesso aos Cocais

O corpo carbonizado de um jovem encontra-se sem identificação no Instituto Médico-Legal (IML) de Ipatinga. O cadáver foi localizado no fim da tarde de segunda-feira (27), à margem da estrada dos Cocais dos Arruda, na zona rural de Coronel Fabriciano. A suspeita da polícia é que a vítima foi morta em outro lugar e o corpo desovado no local onde foi encontrado.

Os policiais receberam uma ligação no telefone de emergência 190, do 58º Batalhão da Policia Militar. Uma pessoa, que se identificou apenas como “Bruno”, informou que havia o corpo carbonizado de uma pessoa, caído nas proximidades da caixa d’água da Copasa, que abastece o bairro Caladão. Os policiais militares foram ao local indicado e confirmaram a denúncia.

O cadáver estava caído na margem direita da estrada e a área no entorno foi isolada para o trabalho da perícia da Policia Civil. Os policiais constataram na vítima um corte profundo na região da cintura, ferimento que chegou a expor parte das vísceras. O desconhecido apresentava ferimentos na boca, nariz e testa.

A possibilidade de o jovem ter sido morto em outro local e seu corpo desovado onde foi encontrado se deve a um lençol com estampa de onça, usado para enrolar o cadáver. Parte deste tecido ficou grudada na cabeça da vítima. Restos das roupas que usava também ficaram grudados ao corpo.

O perito da Polícia Civil determinou a remoção do corpo para o IML de Ipatinga para ser necropsiado e será aguardada sua identificação. Ele é de um jovem de 15 a 20 anos de idade aproximada, cerca de 1,75 metro de altura e moreno escuro, além de estar com um bigode ralo. No antebraço esquerdo, os legistas constataram uma tatuagem que parece ser uma bola de futebol.

Quem tiver parente desaparecido pode comparecer no órgão de Medicina-Legal, que funciona anexo ao Cemitério Parque Senhora da Paz, no bairro Veneza II.

Comentários

Mano Brow 29 de Maio, 2019 | 09:11
A cada 23 minutos morre um jovem negro no Brasil aqui quem fala é o primo preto mais um sobrevivente!
Janaina 28 de Maio, 2019 | 15:26
Que atrocidades,que horror,onde esse mundo vai parar com tanta crueldades,Deus tem misericórdia!

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO