Aula de história a céu aberto em Recife

Na baixa temporada, capital pernambucana tem encantos históricos à espera de turistas

Divulgação


Marco Zero: Recife antigo é uma aula de história a céu aberto

Para muitos turistas, que gostam de fugir do frio do Sudeste, maio, junho e julho são meses perfeitos para se conhecer Recife. A capital pernambucana recebe turistas a passeio e a negócios o ano inteiro.

O fluxo de visitantes é muito mais intenso no verão e datas como o carnaval. É nesse período que as praias ficam cheias e os pontos superlotam.

Agora, quando se aproxima o inverno a temperatura fica em torno de 25ºC. O calor é constante o ano inteiro e não há grande oscilação. Mas é a movimentação menos intensa desse período, exceto julho, que é mês de férias escolares, que atrai muitos viajantes a Recife. E não é só por causa das praias não. Os passeios em recife são um atrativo especial nesse período.

O que fazer em Recife?

A capital tem uma infinidade de opções, que vão de pontos turísticos à uma rica gastronomia em uma rede de restaurantes e bares.

Para quem gosta de história, o básico é um roteiro que contempla o Marco Zero, Rua do Bom Jesus, Centro Cultural Judaico, Capela Dourada, Forte das Cinco Pontas, Torre Malakoff. Um show de arquitetura e história.

Na infindável lista de “o que fazer em recife” gostaríamos de incluir a dica de reservar ao menos um dia para conhecer o bairro do Recife Antigo, o Instituto Ricardo Brennand e a Oficina Brennand, palco de gravações, por exemplo de um DVD acústico de O Rappa. Recife tem muito mais. Confira.

Divulgação

Nem só de praia se vive em Recife, mas que ela existe, existe

Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO