Nove em cada 10 brasileiros estudam pelo Youtube

Tutoriais de serviços também estão entre os favoritos e ensinam de idiomas até a escolha de ferramentas

Divulgação


Tutoriais contêm orientações, desde pronúncia de palavras em outros idiomas até a escolha de ferramentas para serviços manuais

Há quem defenda que a internet afasta as pessoas, que cada um fica isolado no seu canto olhando para seus aparelhos pessoais. Mas, não há como negar que ela resolve muitos dos nossos problemas. Pedir comida, pagar contas, fazer chamadas de vídeo, ensino à distância, são inúmeras as possibilidades para aproveitar os benefícios da Rede Mundial de Computadores.

Para algumas pessoas, por exemplo, é por meio do Youtube que são encontradas as ferramentas necessárias para fazer cursos e se virar nos trinta dentro de casa. De aulas de inglês, violão até saber escolher a melhor ferramenta doméstica. Os cursos online ganham força cada vez maior.

Antonio Feliski é um guia de turismo de Balneário Camboriú - Santa Catarina. Ele fala fluentemente cinco idiomas e foi através de vídeoaulas em sites como LiveMocha e Bussu que recentemente aprendeu o Polonês. Então ele vai para o Uoutube: ”Eu procurava entrevistas, desenhos, filminhos no Youtube em polonês para completar e treinar o entendimento do idioma.” Mas Antonio não é autoditada apenas para os idiomas, morando sozinho há mais de trinta anos, ele diz que aprendeu a fazer tudo e será que usa o Youtube quando tem algo que não sabe. “Com certeza, é meu professor favorito”, garante.

Antonio comprova o que traz a pesquisa da Video Viewers, que diz que desde 2014 vem crescendo o tempo que os brasileiros se dedicam a vídeos na internet. O levantamento mostra que nove em cada dez brasileiros usam o Youtube para estudar.

Outra maneira de aprender um idioma sem gastar uma fortuna e ter certa autonomia é por meio do serviço de streaming de música – Spotify. Alguns podcasts ensinam com músicas e como ter melhor pronúncia no inglês.

Tutoriais são professores para quem tem que se virar

No mundo contemporâneo, alguns serviços estão na moda, como “Marido de aluguel”, onde a pessoa contrata o serviço de um faz tudo. Mas para a atriz Michelle Rodrigues, que mora em São Paulo-SP, a realidade é outra. Ela mesma prefere colocar a mão na massa. Para isso tem em casa uma caixa de ferramentas.

Acompanha vídeos na internet quando não sabe sobre determinado serviço. Martelo, parafuso, cola quente e até uma furadeira estão entre os objetos que muitas vezes salvam a rotina. “Faço de tudo um pouco dentro de casa sempre, trocar chuveiro, resistências, esses dias fiz um móvel para colocar meu fogão.” E saber também ter as ferramentas certas em casa é importante. Michelle diz que escolhe sempre aparelhos profissionais.

E é também na internet que é possível encontrar qual a melhor ferramenta e sites que facilitam a decisão, evitando a aquisição de produtos que não terá grande utilidade. No caso da Michele por exemplo, um produto que se encaixa em seu perfil é uma furadeira elétrica leve e compacta (apenas 1,2 kg), que é ideal para serviços casuais e atende a grande maioria dos serviços domésticos.

O mundo mudou e continua em transformação, cada vez mais recursos tecnológicos estão à nossa disposição. Basta saber fazer o melhor uso dessas ferramentas e evoluir junto com elas.

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO