Homem mata a ex-namorada, invade igreja evangélica e mata três fiéis a tiros

O autor do crime, Rudson Aragão Guimarães, de 39 anos, é militar reformado das Forças Armadas.

Reprodução de vídeo

Militar reformado matou três pessoas na noite de terça-feira em Paracatu, Minas Gerais

Um militar reformado das Forças Armadas matou a ex-namorada e outras três pessoas na noite desta terça-feira (21) em Paracatu, no Noroeste de Minas.

A ação de Polícia Militar evitou que Rudson Aragão Guimarães, de 39 anos, matasse mais pessoas dentro da igreja Batista Shalom, que ele frequentava.

A PM divulgou que o homem invadiu a casa da própria mãe, onde estavam também uma irmã e a ex-namorada. Inconformado com o fim do relacionamento, matou a ex com uma facada no pescoço.

Em seguida, portando uma garrucha de calibre 36, o militar entrou em uma igreja evangélica localizada ao lado da residência, no bairro Bela Vista, onde matou um homem com um tiro na cabeça e uma mulher.

Policiais que faziam o patrulhamento ouviram os tiros e chegaram ao local rapidamente, exigindo que o homem largasse a arma. De frente para os policiais, ele logo fez uma mulher de refém e, em meio à negociação, atirou na cabeça dela.

Em seguida, um policial atirou no abdômen do atirador, que foi rendido e levado para um hospital da cidade, onde passou por uma cirurgia.

"Havia cerca de 20 pessoas na reunião realizada na igreja e o número de vítimas poderia ser muito maior", afirmou o major Santiago, porta voz da PMMG.

O pastor da igreja, que seria o principal alvo do atirador segundo informações não oficiais, fraturou o pé enquanto fugia do atirador. Ele foi encaminhado ao Hospital Municipal de Paracatu.

Comentários

Marcos Guimarães 22 de Maio, 2019 | 19:47
Eu tenho dito que: " Quem poupa o lobo, sacrifica as ovelhas!" A PM tinha o dever de eliminar o alvo, uma vez que o mesmo havia deixado um rastro de mortes por onde passou. Que mundo é este onde um louco que tem a Missão de proteger e Servir, perde a sanidade e ainda anda armado? o Exército tem uma regra onde : Se alguém ficar louco, não existe solução padrão! Sabiam que o cara era de alto risco e o deixaram solto. Se o cara fosse preto, pobre e do Movimento, a PM tinha "passado" sem pensar duas vezes.
Major Santiago, o nosso Capitão e Presidente já deixou claro a posição do Governo quanto a atirar em bandido armado, o Governo tem sua posição clara quanto a exclusão de ilicitude. É assim que a PM vai defender o povo Mineiro? poupando bandido armado, pior um assassino frio que eliminou o refém na frente da PM? A Escola que eu fui treinado ensinou a proteger a vítima e eliminar o delinquente, a PM poupa o vagabundo e a vítima morre.
Lamentável. O 26 BPM perdeu a chance de Condecorar seus heróis.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO