Museu Mineiro promove exposição "Estadia 2"

Mostra gratuita é composta por 12 trabalhos do coletivo Grassar e fica em cartaz até 14 de julho

O Museu Mineiro abriu as portas para receber a primeira exposição do Coletivo Grassar em Belo Horizonte. A mostra “Estadia 2:” apresenta 12 trabalhos e coloca em pauta as discussões sobre como a arte contemporânea dialoga com as obras de acervos permanentes de museus, evidenciando as tensões entre passado, presente e futuro.

Participam da mostra os artistas Rodrigo Borges, Elisa Campo, Liliza Mendes, Roberto Bethônico e Daisy Turrer. A entrada é gratuita.

Divulgação/Coletivo Grassar


Obra de Rodrigo Borges
Em exibição na Galeria de Exposições Temporárias II, e com intervenções artísticas no acervo de longa duração do museu, a exposição ficará em cartaz até o dia 14 de julho e traz em seu corpo o trabalho “O tapete vermelho”, de Liliza Mendes.

A criação estabelece uma conexão com a cadeira remanescente do antigo Senado Mineiro, em exposição na Sala das Sessões. O “tapete”, elaborado a partir de cerâmicas e costurado com linha vermelha, busca estabelecer uma noção de continuidade entre os objetos para demonstrar a fragilidade dos caminhos percorridos pela política.

Outro destaque da mostra é a obra de Rodrigo Borges, intitulada “Tecido de fita”. O trabalho usa fitas adesivas para produzir superfícies planas a partir de papéis, papelões e outros materiais. As peças são confeccionadas em frente e verso e procura criar uma relação dialógica entre os planos.

O artista itabirano Roberto Bethônico leva para o Museu Mineiro uma série com sete desenhos de perfis de montanhas em formato A1. As peças contrastam a grandeza do céu com o cenário montanhoso de Minas Gerais e da cidade natal do desenhista.

Segundo Rodrigo Borges, levar a exposição “Estadia2:” ao Museu Mineiro mostra a força do trabalho desenvolvido. ‘Estar neste local centenário é muito significativo para nós.

Ocupar esse espaço traz respaldo ao trabalho, pois está no cerne da nossa concepção artística dialogar com os acervos permanentes de museus históricos.

Divulgação/Coletivo Grassar


Tapete Vermelho, de Liliza Mendes
Outro aspecto relevante em expor em BH é apresentar a produção do grupo para a cidade que vivemos e poder ampliar nossa relação com público local’, pontua Rodrigo.

MUSEU MINEIRO
Localizado na Avenida João Pinheiro, corredor de acesso à Praça da Liberdade, o Museu Mineiro funciona em um belo casarão do final do século XIX, exemplar do conjunto arquitetônico original de Belo Horizonte.

Antiga sede do Senado Mineiro e da Pagadoria Geral do Estado, o Museu criado em 1982 integra o Circuito Liberdade, gerido pela Superintendência de Museus e Artes Visuais (SUMAV) da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais.

O Museu Mineiro coloca à disposição do público exposições de longa duração e mostras temporárias, tanto de artistas consagrados quanto de iniciantes, além de ampla programação relacionada ao patrimônio material e imaterial do Estado.

Com um acervo de mais de 3 mil peças, de variadas tipologias, datadas dos séculos XVIII ao XXI, a instituição tem como objetivo preservar, pesquisar e difundir registros da história e da cultura mineira.

Divulgação/Coletivo Grassar


Obra do itabirano Roberto Bethônico
O acervo em exibição apresenta a coleção de arte sacra composta por peças do barroco mineiro e do período neoclássico. Sua pinacoteca é formada por obras do Mestre Ataíde e de artistas mineiros como Celso Renato, Inimá de Paula, Amílcar de Castro, Márcio Sampaio, Aníbal Mattos, Belmiro Almeida, além de destacados artistas brasileiros, como Volpi e Di Cavalcanti.

Também compõem o acervo da instituição utensílios domésticos e de uso pessoal, instrumentos de trabalho, objetos pecuniários e cerimoniais, insígnias, esculturas, com destaque para a coleção Jeanne Milde, dentre outros.

SERVIÇO:
EXPOSIÇÃO ESTADIA 2:
Até 14 de julho de 2019
Museu Mineiro - Avenida João Pinheiro, 342
Bairro Funcionários - Belo Horizonte (MG)
Horário: de terça a sexta-feira – 10 às 19h
Sábados, domingos e feriados – 12 às 19h
Entrada gratuita.

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO