Armas de fogo são um perigo também para a audição

Policiais da PM, das Forças Armadas e frequentadores de Clubes de Tiros precisam cuidar da saúde auditiva


Todos conhecem os riscos a que são submetidos os integrantes da Polícia Militar, que frequentemente estão em ruas e favelas em confronto com marginais. Mas há outro problema que, apesar de menos divulgado, é muito recorrente nesse grupo: a perda de audição devido à exposição contínua a disparos de armas de fogo. Para se ter uma noção do quão alto e prejudicial o som do disparo de uma arma pode ser ao ouvido humano, o barulho de uma turbina de avião ou de uma caixa de som em um show de rock alcança aproximadamente 130 decibéis, enquanto o som produzido pelo disparo de uma arma pode chegar a 140 decibéis.

A situação atinge também os membros das Forças Armadas e todos aqueles que participam de treinamentos de tiro. A perda de audição, no entanto, ainda não é preocupação dos profissionais da área de segurança. O resultado da negligência com a saúde auditiva só é percebido ao longo do tempo. A maioria só chega a admitir o problema quando está mais velho ou já está na reserva, quando o deficit auditivo pode ser ainda maior.

"A Perda Auditiva Induzida por Ruído, uma exposição frequente a ruídos acima de 80 decibéis, é um problema real enfrentado por muitos trabalhadores e militares. Muitas pessoas procuram a Telex devido a problemas de audição decorrentes da profissão que exercem. São comuns os casos de pessoas que desencadearam perda auditiva por exposição ao ruído intenso ou por trauma acústico", revela Isabela Papera, fonoaudióloga da Telex Soluções Auditivas.

A perda da audição compromete a qualidade de vida do indivíduo pois prejudica também sua capacidade de se relacionar em sociedade. Além disso, estresse, dores de cabeça, depressão e perda de atenção são outros sintomas frequentes que acometem os deficientes auditivos.

A fonoaudióloga da Telex, que é especialista em audiologia, recomenda o uso frequente de protetores nos ouvidos, que reduzem o volume excessivo, para quem convive em ambientes barulhentos ou, no caso de policiais, estão expostos aos fortes ruídos que podem causar, inclusive, trauma acústico - principalmente durante os treinamentos de tiro. Os protetores da Telex, por exemplo, são moldados de acordo com a anatomia do ouvido de cada pessoa. Existem dois tipos: o que diminui o barulho ambiente em 15 decibéis e outro que reduz o ruído em 25 decibéis.

“Os protetores auriculares ajudam muito a diminuir o nível de ruído que entra pelos ouvidos e seu uso no dia a dia evita a evolução da perda de audição. Porém, caso a pessoa já esteja com a audição comprometida, existem atualmente aparelhos auditivos modernos e discretos, com som digital, que resgatam os sons, devolvendo a autoestima, a alegria e o bom convívio com parentes e amigos”, conclui Isabela Papera

A importância das Forças Armas e da Polícia Militar para a nossa sociedade é indiscutível, mas seus policias devem estar atentos para manter sua saúde - inclusive a auditiva.

Mais:
Bolsonaro afirma que decreto de armas foi feito ''no limite da lei''

Comentários

Wagner Alvarenga 19 de Maio, 2019 | 21:38
Inventaram um equipamento chamado abafador.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO