Homicídio no Morro do Sossego, em Ipatinga

Carioca foi morto a tiros e casal suspeito de homicídio no bairro Veneza é procurado


Diogo Melo, o Carioca, tinha 30 anos

Com atualização às 15h de 6/6
Um homem foi morto a tiros, no fim da noite de sábado, no bairro Veneza, em Ipatinga. O crime foi registrado por volta de 23h50, na rua da Comunidade, no Morro do Sossego. Os suspeitos são, um jovem de 29 anos e a mulher dele, de 26 anos, conforme apurou o Diário do Aço.

Diogo de Melo Alves, de 30 anos, foi encontrado sem vida, caído na rua. Quando policiais militares chegam ao local indicado em denúncia, encontraram o corpo em meio a uma poça de sangue e calçado com chinelo em apenas um dos pés. O SAMU chegou a ser acionado, mas a equipe apenas constatou o óbito da vítima.

Ninguém soube informar, na cena do crime, a identidade da vítima que era conhecida apenas como Carioca, dada sua origem ser a cidade do Rio de Janeiro. A perícia da Polícia Civil constatou três perfurações provocadas por projéteis de arma de fogo, nas costas e axila, lado direito.

Os indícios no local apontam que a vítima foi atingida por tiros, primeiramente, na rua Passos Dourados e tentou escapar da morte correndo para a rua da Comunidade. Havia marcas de sangue por todos lados, inclusive, em uma grade onde também foi deixado um dos chinelos da vítima, em frente a casa 45 da Passos Dourados, onde foram feitos os disparos.

Por meio de denúncias anônimas, policiais militares foram informados que o homem morava no Morro do Sossego, estava envolvido com o comércio de entorpecentes e disputava espaço para o controle do tráfico de drogas no local.

Uma ex-namorada da vítima esteve no local do crime e informou à Polícia Militar que sabia apenas o primeiro nome, Diogo. Outra pessoa finalmente sabia que se tratava de Diogo de Melo Alves, de 30 anos.

Testemunhas também informaram que Carioca envolveu-se em uma discussão recentemente em um bar na avenida Macapá, quando uma mulher foi agredida por ele. Desde então, a mulher e o marido – ambos moradores do Morro do Sossego - passaram a ameaçar Carioca de morte.

No fim da madrugada, policiais receberam informações segundo as quais os autores do homicídio foram mesmo o casal suspeito. Os relatos indicam que o casal cercou Diogo Carioca, o homem sacou uma arma e efetuou os disparos. Mesmo atingido, Carioca saiu correndo pela rua Passos Dourados, em direção à rua da Comunidade. O casal saiu correndo sentido contrário e desapareceu. Já Diogo caiu sem vida alguns metros à frente.

Suspeito é preso e nega

Suspeito de envolvimento no homicídio, o mecânico de motos D.J., de 29 anos, foi localizado pela Polícia Militar no distrito de Revés do Belém, em Bom Jesus do Galho. Ele foi ouvido e liberado na noite de domingo. Contudo, a equipe da 82ª Companhia PM de Ipatinga, manteve os levantamentos e conseguiu novas provas do envolvimento do mecânico no crime.

D.J, tentou fugir à segunda detenção, foi preso novamente nessa segunda-feira. Em conversa com o Diário do Aço o jovem negou participação no crime e alega que no momento dos tiros estava em um bar. “Cheguei ir até o local do crime e depois fui com uma amiga para Revés (do Belém). Eu conhecia o Carioca há anos e não tinha nenhum problema com ele”, disse D.J..

O suspeito confirmou que houve mesmo uma confusão, na semana passada, em um bar na avenida Macapá e chegou a ser agredido. Porém, segundo D.J., Carioca não agrediu a mulher e sim a empurrou, quando começou uma briga, para evitar que ela fosse ferida. “Tive com ele depois disso. Estou com a consciência tranquila que não devo nada”, concluiu o suspeito ao ser encaminhado para a delegacia.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Esdras Araújo 05 de Maio, 2019 | 20:19
Caro Pedro vc nunca visitou ou conhece a realidade das ruas e comunidades. Pois a cultura é não vi, não sei e não conheço. Pois o denunciante de hoje pode ser a vítima amanhã. Pois o conhecido X9 tem vida curta e ademais para sua informação. Não existe gato de internet pois há provedor com velocidade e fibra ótica para atender a todos. O preconceito é gerado por ignorância e falta de pessoas para auxiliar em resolver os dilemas do marginalizados.
P2 05 de Maio, 2019 | 19:39
...A"Companheira" do cara só sabia o primeiro nome dele kkkk...
...E o cara bateu numa mulher em um bar no Veneza...
... Nada justifica mas o cara se tivesse na igreja Peniel do morro do sossego não tava morto uma hora dessas
Pedrin Perito 05 de Maio, 2019 | 17:51
Socialista nenhum explica isso....
Mas criminalista pode chegar num resultado :
(Pobreza financeira e cultural,retardo politico social,genetica criminologica e safadeSa !)

Porque a comunidade não denuncia essas desgraças sociais? Será que vivem disso? São todos contaminados? Será que não existe pessoa de bem? Meu Deus, só pegar o telefone, teclar nos sites dos órgãos de segurança.Tem medo da internet gato cair? Cai não!!! É anonimo !
Gilmar 05 de Maio, 2019 | 15:40
Imagina se o morro não fosse do Sossego kkk

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO