Ações para execução do Plano de Manejo Apa Serra do Timóteo são apresentadas

O Plano de Manejo será custeado pela Copasa com investimento da ordem de R$ 364 mil

Divulgação


Ações para execução do Plano de Manejo Apa Serra do Timóteo são apresentadas

A proposta de atividades e estratégias para a execução do Plano de Manejo da Área de Proteção Ambiental (APA) Serra do Timóteo foi apresentada nesta quarta-feira (24), em encontro realizado na Prefeitura de Timóteo. A reunião, que marca o início dos trabalhos de elaboração do documento, contou com a participação do prefeito Douglas Willkys; vice-prefeito, José Vespasiano Cassemiro; do Superintendente Regional da Copasa Vale do Rio Doce e Vale do Aço, Albino Júnior Batista Campos; e do secretário de Planejamento e Gestão, Fabrício Araújo.

O Plano de Manejo será custeado pela Copasa com investimento da ordem de R$ 364 mil, em razão do cumprimento de uma condicionante ambiental firmada entre a empresa e o Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente (Codema) de Timóteo, em função das obras de ampliação do Sistema de Esgotamento Sanitário do município. O encontro foi a primeira reunião de trabalho entre a empresa Detzel Consultores – vencedora da licitação para a execução do estudo - e representantes das equipes técnicas da Copasa e das secretarias de Planejamento e de Obras, Serviços Urbanos e Meio Ambiente.

"Já tivemos discussões em outros momentos sobre a unidade de conservação em que não foram observados critérios técnicos relacionados às questões legais e ambientais. Para termos segurança jurídica, queremos que este estudo seja realizado com a melhor técnica possível e envolvendo diversos atores, servidores da prefeitura e sociedade, ambientalistas e pessoas que possam contribuir", comentou o prefeito, frisando que a discussão será levada à comunidade em geral no momento oportuno.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Kim Valverde 25 de Abril, 2019 | 13:08
Trata-se de um avanço que todos nós ambientalistas defendemos, inegavelmente. Mas não é aceitável nem admissível permanecermos na indefinição quanto as dimensões da APA Serra Timóteo por mais um semestre, quem sabe um ano, considerando os prazos para a finalização do processo e regular instituição da unidade municipal de conservação.
É fundamental que à Lei Municipal 3.430, de 7 de junho de 2015 seja incluído um anexo, (em caráter transitório) com as coordenadas georreferenciada da poligonal da APA Serra Timóteo - (delimitada por GPS), considerando que trata-se de importante corredor ecológico de manutenção de ecossistemas no Vale do Aço e que carece de proteção e planejamento.
Timóteo precisa se desenvolver com sustentabilidade, protegendo suas nascentes e cursos d´água, defendendo as áreas de amortecimento do Parque Estadual Rio Doce, mas ao mesmo tempo possibilitando o desenvolvimento urbano, industrial, comercial, imobiliário e turístico com uso racional e sustentável das áreas disponíveis.
Sem delimitações precisas do perímetro protegido, a Lei Municipal 3.430 acaba criando entraves para os licenciamentos, inviabiliza a ação do Conselho Gestor da Apa Serra Timóteo e traz insegurança jurídica para os investidores e empreendedores.
Sem tais delimitações nos tornamos inertes, paralisados e sequer as ações ambientais protetivas ocorrem com a eficiência necessária.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO