Mulher morre atropelada na BR-381 em Santana do Paraíso

Vítima entrou na frente de carro, foi lançada do outro lado da pista e novamente atingida por outro veículo cujo motorista seguiu viagem sem parar

Com atualizações
Wellington Fred


A vítima foi atingida por este Astra, cujo motorista tentou desviar e evitar o atropelamento

Uma mulher de 46 anos morreu atropelada por um veículo, nas proximidades do trevo do aterro sanitário perto do bairro Águas Claras, em Santana do Paraiso. Conforme dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF) Vanilda Evangelista de Jesus, morreu ao ser atingida por um carro.

O soldador Reginaldo Ruellla Cardoso, de 34 anos, dirigia um Chevrolet Astra pela rodovia e transportava a esposa e duas crianças no veículo. Ele alegou para testemunhas que deparou com a vítima caminhando na rodovia, tentou evitar o atropelamento, mas sem sucesso. Atingida pelo carro, a mulher foi lançada para o outro lado da pista e atropelada por outro veículo não identificado, pois o motorista continuou a viagem, sem parar.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foi acionado e socorreu o motorista do Astra, que estava em choque e com alguns ferimentos pelo corpo provocados pelos estilhaços do para-brisas. A atropelada morreu antes da chegada do socorro. Os outros ocupantes do carro não se feriram, conforme contou o cabo Adalberto, da Polícia Militar, que deu apoio no isolamento do local até a chegada da PRF.

O filho de Vanilda esteve no local do atropelamento e informou ao Diário do Aço que a mãe dele passava por problemas depressivos e fazia uso de medicação. Ela morava no bairro Bom Sucesso, em Santana do Paraíso, e estava a caminho da casa de um conhecido da família, quando ocorreu o atropelamento.

O corpo da vítima foi removido ao Instituto Médico-legal (IML) de Ipatinga pela funerária Memorial após os trabalhos da perícia da Polícia Civil. O trânsito no trecho ficou impedido, nos dois sentidos de direção, por cerca de uma hora até a finalização da perícia e a remoção do cadáver da rodovia.


O corpo da atropelada, após a perícia, removido ao IML de Ipatinga

Comentários

Cidado Indignado 03 de Maio, 2019 | 14:58
Ninguém comenta, mas qual é a segurança de um acostamento ou de um canto de rodovia para um pedestre ou ciclista? Será que as pessoas que utilizam este espaço têm alguma segurança? Será que um ciclista amador sabe que tem que trafegar à sua mão de direção(no sentido igual ao dos carros)? Será que têm passarelas suficientes? Será que as pessoas sabem respeitar o uso das passarelas ou preferem cortar caminho pelo meio das pistas?
Anteontem quase atropelei um casal de idosos atravessando as pistas do Centro de Ipatinga sentido ao Camelódromo, cerca de uns 30 metros da passarela(vulgo mergulhão da portaria da Usiminas). Será que o pedestre sabe que se for atropelado transitando no lugar errado ele é obrigado por Lei a pagar o concerto do dono do veículo? Quiçá os gastos hospitalares?
Noto que faltam conhecimento, orientação e respeito por todos(transeuntes, ciclistas e motoristas).
Diego 18 de Abril, 2019 | 11:37
Meu Deus. Essa peste de depressão. Estar acabando com todos. Vamos todos ficar em oraçao. Pedir deus que nus livre desse mal moderno

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO