Governo propõe salário mínimo de R$ 1.040 para o próximo ano

O valor representa alta de 4,2% em relação ao atual de R$ 998 e não tem ganho real (acima da inflação)

Pela primeira vez, o valor do salário mínimo ultrapassará R$ 1 mil. O governo propôs salário mínimo de R$ 1.040 para 2020, o que representa alta de 4,2% em relação ao atual (R$ 998). Na prática o valor não traz ganho real (acima da inflação), como vinha ocorrendo nos anos anteriores.

O valor consta do projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2018, apresentado hoje (15) pelo secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues.

Até este ano, o mínimo era corrigido pela inflação do ano anterior medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) mais a variação do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e dos serviços produzidos no país) de dois anos anteriores. Como a lei que definia a fórmula deixará de vigorar em 2020, o governo optou por reajustar o mínimo apenas pela inflação estimada para o INPC.

A LDO define os parâmetros e as metas fiscais para a elaboração do Orçamento do ano seguinte. Pela legislação, o governo deve enviar o projeto até 15 de abril de cada ano. Caso o Congresso não consiga aprovar a LDO até o fim do semestre, o projeto passa a trancar a pauta.

O valor do salário mínimo pode subir ou cair em relação à proposta original durante a tramitação do Orçamento, caso as expectativas de inflação mudem nos próximos meses. (Wellton Máximo e Jonas Valente – Repórteres da Agência Brasil)

Comentários

Ane Caroline 16 de Abril, 2019 | 06:13
O salário mínimo necessário para o sustento de uma família de quatro pessoas (Conforme estabelece a Constituição) deveria ser de R$ 4.277,04 em março deste ano, segundo relatório do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). O valor é cerca de quatro vezes mais do mínimo previsto em lei atualmente, R$ 998. Ahhhh, mas dá para pagar esse valor, senão o sistema público quebra. Mas não quebraria se cortasse privilégios e fizesse sobrar recursos.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO