Ciclista morre ao ser atingido por van, em Fabriciano

André José de Oliveira voltava do trabalho em uma bicicleta e foi atropelado pelo veículo no bairro Aparecida do Norte

Enviada para o WhatsApp Portal Diário do Aço


André, o "Dedé", estava na direção desta bicicleta

Um homem de 49 anos não resistiu aos ferimentos sofridos em um atropelamento e morreu na noite de quinta-feira (11). O acidente aconteceu na avenida Tancredo Neves, no bairro Aparecida do Norte, em Coronel Fabriciano. André José de Oliveira, o Dedé, como era conhecido, estava de bicicleta e foi atingido por uma van que trafegava pelo local.

A motorista da van Fiat Ducato, Viviane Menezes Rodrigues, de 37 anos, informou que trafegava na faixa da esquerda no sentido Centro ao Caladinho, quando o ciclista teria "surgindo de repente" à sua frente. Ela alega que pisou nos freios, mas não conseguiu evitar a colisão com a bicicleta da vítima.

No impacto, André foi lançado ao chão e sofreu graves ferimentos. Uma equipe do Corpo de Bombeiros Militar foi acionada e socorreu a vítima. O ciclista não apresentava sinais vitais, mas os militares iniciaram os procedimentos para reanimar o ciclista, enquanto o encaminhavam ao Hospital Dr. José Maria de Morais. Ao dar entrada ficou confirmado que o ciclista estava sem vida.

O local do acidente foi isolado para o trabalho da perita Cristina Magalhães, da Polícia Civil. Após a liberação dos veículos envolvidos na colisão, Viviane Menezes, que era motorista da van, foi conduzida para prestar depoimento na delegacia de Polícia Civil como prevê a legislação de trânsito.

Amigos de André informaram ao Diário do Aço que ele voltava do trabalho quando ocorreu o acidente. Ele era casado e morava no bairro Recanto Verde, em Coronel Fabriciano. O corpo da vítima foi liberado no fim da manhã desta sexta-feira para ser providenciado o velório e sepultamento.


A motorista da van alega que tentou evitar a colisão, mas não conseguiu parar a tempo

Comentários

Ely 17 de Abril, 2019 | 12:00
A maioria dos motoristas nao respeita a velocidade de 60Km. É uma falta de respeito generalizada. a maioria a mais de 100 e pelo amassado da van tava voando.
Marcos Souza 14 de Abril, 2019 | 20:27
Realmente, muitos motoristas de vans escolares, não respeitam as placas de PARE, as preferências, estacionam em qualquer lugar, param o trânsito e não estão nem aí, pra nada. Acabam colocando a vida dos estudantes em risco e a de outros usuários das vias também.
Walerson 13 de Abril, 2019 | 18:30
Meus pedales para a familia e quero deixar bemclaro a esse pessoal dessas oficina deixam carro na ciclovias e nau sar para osciclistas passar
Nilsonboleiro 13 de Abril, 2019 | 17:59
Falam se muito dos motoristas, mas tem certos ciclistas que não respeitam nada. Não respeitam sinal, passam montado na faixa de pedestres, não usam a ciclovia quando existe e ainda andam na contramão de direção e um ao lado do outro tomando parte da pista. Triste pela fatalidade com um pai de família, mas esses ciclistas deveriam gostar mais de suas vidas e respeitar as leis de trânsito.
Pronto ! Falei 13 de Abril, 2019 | 17:10
Esses motoristas de Vans sao um bando de irresponsaveis. Tinha que fazer uma blitz e so pegar essa turma de desmiolados. Fiscalizar a fundo. Vai envontrar muita coisa errada. Gente retardada que dirige essas vans. Idiotas
Ilson Coelho de Barros 13 de Abril, 2019 | 12:28
Lamento pela fatalidade, o ciclista no lugar impróprio, sendo que há uma ciclovia. Lamento tbm pela motorista da Van que não terá mais um sono tranquilo. Precisamos mais de educação no trânsito para todos saber seu lugar pra travegar
Roberto Gonalves de Arruda 13 de Abril, 2019 | 11:25
Infelizmente a muitos condutores de vans que
andam em alta velocidade ,muitos não respeitam o trânsito,e arrumam uma correria doida pra dar conta de pegar suas turmas e garantirem seus salários, colocando vidas em risco,e causando mortes como esta.
Lindomar 13 de Abril, 2019 | 10:12
Eles nao respeitam nada...fila dupla...param onde querem...travam o transito...nao se preocupam nem com crianças sem cinto...em pe junto ao motorista...pendurados nas janelas e por ai ...muita falta de educaçao e fiscalizaçao
Demais 13 de Abril, 2019 | 04:31
Não acho q ele apareceu do nada.nao Andre sempre.andava direito sempre com.muita responsabilidade por onde passava por bicicleta e esse é horário de pico essas vans não tem
Nenhum.respeito com.quem.ta de bicicleta
Marilenemg 12 de Abril, 2019 | 22:04
Lamento profundamente. Minha amiga estava tão feliz com o casamento deles!
Como está sendo difícil para ela!
Não temos palavras para conforta-la .

Fico pensando o que é APARECER DE REPENTE na frente de um veículo.

Já vi uma pessoa aparecer de repente, mas para suicidar.

Horário de pico.
Todos precisam lutar pela prudência!
Ana 12 de Abril, 2019 | 21:31
Concordo com o gato.Eles abusam sim.Nao respeita os demais
Marcelo 12 de Abril, 2019 | 20:55
Não sou do Vale do aço, mas acho que aqui nessa região o povo é muito burro, andam de bicicleta na contra mao6 de direção, não usam calçada para andar estacionam em cima de calçadas e a prefeitura só sabe cobrar estacionamento não sei se o povo aqui é retardado ou bobo, vou voltar pra São Paulo
Maurcio de Paula Dias 12 de Abril, 2019 | 20:45
Vou ser bem direto os profissionais do volante de vans precisa de mais fiscalização,estão abusando do ato de dirigir.muitas ações de risco com passageiros dentro do veículo.
Diamante Negro 12 de Abril, 2019 | 19:24
Concordo com o comentario do Gato,esses motoristas das Vans não perdoa nem a preferência de quem tá na pista preferencial,tem uma quase colidiu com meu carro, só ficam na correria.
Michelle 12 de Abril, 2019 | 16:03
Gleici, vale ressaltar que no trecho há ciclovia que é ignorada por muitos.Sinto a perda pela família, o trauma pela condutora, lamentável!
Gleici 12 de Abril, 2019 | 15:29
No trecho da Molaço até o Caladinho de Cima, ciclistas querem disputar espaço com os veículos, principalmente os estudantes no término das escolas. Na curva da morte, o pessoal quer descer sentido Caladinho na pista de carro. A motorista em questão estava na mão da esquerda. Ciclistas nesse trecho querem usar o retorno com se fossem motociclistas e nesse caso infelizmente acabou falecendo, para que nós que lemos a matéria é apenas mais uma vítima. Para a família, alguém importante. E para a condutora um trauma. Que possamos rever nossas atitudes no trânsito como pedestre, ciclistas e condutores de veículos automotores.
Marcelo 12 de Abril, 2019 | 14:51
Concordo plenamente com vc "Gato". A grande maioria dos motoristas de vans não respeitam ninguém e fazem muita "barbeiragem" no trânsito.
Gato 12 de Abril, 2019 | 13:55
Esse pessoal dessas Vans , inclusive as escolares, dirigem sem um pingo de responsabilidade. Andam so na correria e nao respeitam ninguem. Nem ciclista, nem pedestre, nem os demais veiculos. Infelizmente. O rapaz pode ate ter surgido de repente, e realnente nao ter tido como evitar, mas geralmente as coisas nao sao bem assim que ocorrem com essas vans nao heim.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO