Obras da ponte velha estão dentro do cronograma previsto, afirma Dnit

A empresa responsável pelos serviços na ponte velha é a Vereda Engenheira Ltda

Divulgação


No momento, os serviços executados na ponte velha envolvem fundações e pilares da estrutura

Interditada totalmente para trânsito de veículos e pedestres, a ponte velha, que liga os municípios de Coronel Fabriciano e Timóteo, passa por uma reforma desde novembro do ano passado. Em nota enviada ao Diário do Aço, o Departamento Nacional de Infraestruturas de Transportes (Dnit) afirmou que "as obras estão dentro do cronograma previsto e que os trabalhos que estão sendo executados no momento envolvem fundações e pilares da ponte".

Conforme já anunciado pelo Diário do Aço, as etapas da reforma da ponte velha estão compreendidas em infra, meso e superestrutura. O recurso na ordem de R$ 3,5 milhões, destinado à primeira etapa da obra, está assegurado, segundo o Dnit. A empresa responsável pelos serviços na ponte velha é a Vereda Engenheira Ltda.

O valor completo da licitação é de R$ 9,8 milhões, segundo informado pelo superintendente regional do Dnit, Fabiano Cunha, no dia da assinatura da ordem de serviços, 26 de novembro. O prazo total da licitação é de 560 dias, dentre os quais, 180 para apresentação de projetos e 360 para a execução das obras, que começaram a contar no dia seguinte ao da assinatura. No projeto da obra, a ponte foi redimensionada para 45 toneladas e poderá receber caminhões e carretas de qualquer porte. A previsão de durabilidade da obra é de mais 30 a 40 anos.

Entenda

A ponte chegou a ser inteiramente interditada no dia 8 de novembro de 2012, porque havia temores de agravamento das rachaduras em seus pilares. Em 2013, houve a liberação parcial para o trânsito de veículos leves.

Depois de mobilização dos setores representativos, em 2014, um edital chegou a ser publicado pelo Dnit, mas a licitação foi revogada. Em 12 de dezembro de 2016, outro edital foi lançado, mas fracassou por falta de entendimento das empresas concorrentes acerca do valor oferecido pelo Dnit para a reconstrução.

Em dezembro de 2017, foi realizada outra licitação e a empresa R.R. Fenix Tecnologia em Serviços venceu o processo. No entanto, em janeiro de 2018, a vencedora da licitação foi desclassificada na fase de análise da documentação. Com isso, a segunda colocada, Vereda Engenharia Ltda., foi chamada para assumir a reforma da ponte velha.

Ao longo do ano de 2018, a empresa desenvolveu os projetos da obra e os apresentou para o Dnit, até que, no dia 26 de novembro, foi assinada a ordem de serviço. Já no dia 10 de janeiro deste ano, a ponte foi interditada completamente para a execução dos serviços da empresa responsável. Com essa interdição completa da ponte velha em janeiro, acabou sobrecarregada a ligação pela ponte Mariano Pires, que interliga o trevo do bairro Alegre, em Timóteo, ao Centro de Coronel Fabriciano, que passou a receber todo o tráfego da ponte velha.

Já publicado:
Trânsito na ponte nova requer calma e atenção dos motoristas
Previsão de durabilidade da ponte velha é de mais de 30 anos
Sem ponte velha, trânsito engarrafado na ponte nova
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO