Bombeiros de Minas vão apoiar buscas e resgates na África

Tropa, considerada referência mundial, levará sua experiência para trabalhar em áreas atingidas por ciclone

CBMMG


Equipe dos Bombeiros Militares de Minas Gerais têm treinamento especial para atuação em áreas de catástrofes e levará conhecimento para ajuda a africanos

Após solicitação do governo federal, com intermediação do Ministério das Relações Exteriores, o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais (CBMMG) vai enviar uma tropa de 20 militares, especialistas em operações de busca, salvamento e gestão de desastre, para a África.

Lá eles vão colaborar nos trabalhos das áreas atingidas pelo ciclone Idai, que ocorreu no sudeste africano, provocando mais de 750 mortes numa área com mais de 2,5 milhões de pessoas.

Os militares mineiros são considerados referência mundial, especializados em doutrinas de Salvamento em Soterramentos, Enchentes e Inundações (SSEI), Busca e Resgate em Estruturas Colapsadas (BREC), Operações Aéreas (OA), entre outras habilidades.

A tropa mineira tem experiência em reiteradas enchentes e inundações já ocorridas em Minas Gerais. Durante a operação, em Brumadinho, mais uma vez, a eficácia das técnicas e doutrinas aplicadas foram exemplo para as demais equipes de salvamento do mundo, servindo de aprendizado, inclusive, para a tropa de Israel, que veio colaborar nos trabalhos.

Os bombeiros de Minas são a primeira corporação brasileira a prestar apoio ao desastre africano. De início, os militares ficarão estabelecidos na região das cidades de Beira e Dondo, em Moçambique, locais severamente destruídos pelo ciclone.

Experiência dos Militares mineiros orientou equipe de Israel enviada a área de catástrofe, em Brumadinho, no mês de janeiro de 2019


Junto aos militares, que serão transportados por uma aeronave das Forças Armadas Brasileiras, o CBMMG enviará três picapes, dois botes, três drones com imageador térmico e ferramentas específicas da atividade, como desencarceradores e expansores hidráulicos.

A previsão da participação do CBMMG na Operação África é de 15 dias. Os militares atuarão não somente nas ações de busca e resgate, mas também nas atividades de planejamento e inteligência de busca, com o conhecimento aplicado acerca de mapeamento estratégico, georreferenciamento, busca aérea, entre outros.

O empenho dos militares não impactará a atuação dos bombeiros em Brumadinho ou nas outras cidades, visto que o planejamento de rodízio das equipes já contemplava essa e outras possibilidade de apoio.

Conforme nota divulgada pelo governo de Minas, o embarque dos militares está agendado para esta sexta-feira (29). "Por se tratar de um apoio humanitário emergencial, os militares foram colocados em prontidão e aguardam a chegada, a Belo Horizonte, da aeronave da Força Aérea Brasileira.

O governo federal informou que envia para Moçambique dois aviões da FAB. Além dos Bombeiros Militares mineiros e da Força Nacional do Ministério da Justiça serão enviados medicamentos e insumos estratégicos fornecidos pelo Ministério da Saúde do Brasil. Ao todo, serão enviados seis kits de medicamentos e insumos, totalizando 870 kg, quantitativo suficiente para atender até 3 mil pessoas por um período de três meses.


Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO