Suplente do vereador Wanderson Gandra toma posse na Câmara de Ipatinga

Conforme o regimento interno da Casa Legislativa, no caso de afastamento por mais de 30 dias, o vereador é automaticamente substituído em plenário pelo seu suplente

Wôlmer Ezequiel


Fabinho do Povo (PSC) substituirá o vereador Wanderson Gandra (PSC) no plenário do Legislativo

Em reunião ordinária, o suplente Fabinho do Povo (PSC) tomou posse na Câmara de Ipatinga, na tarde desta segunda-feira (25). Ele assumirá a cadeira do vereador Wanderson Gandra (PSC), que está preso preventivamente na Penitenciária Dênio Moreira de Carvalho (PDMC), em Ipaba, desde o dia 20 de fevereiro. O parlamentar é investigado por mau uso do dinheiro público em seu gabinete, com o recolhimento de parte dos salários de assessores nomeados, além de outros crimes.

Conforme o regimento interno da Casa Legislativa, no caso de afastamento por mais de 30 dias, o vereador é automaticamente substituído em plenário pelo seu suplente. No entanto, os vereadores que estão afastados permanecem investidos dos cargos conquistados nas urnas. Apenas não recebem subsídios. Até a deliberação da Comissão Processante, se os parlamentares forem liberados da prisão, por força de decisão da Justiça, podem voltar aos cargos normalmente. Caso o cargo esteja ocupado por um suplente, ele se afasta e o titular ocupa novamente a vaga.

Outros suplentes

Além de Fabinho do Povo, já tomaram posse os suplentes Gustavo Nunes (PTC), Ley do Trânsito (PSD) e Adelson Fernandes (Pros), que substituíram no Legislativo Luiz Márcio (PTC), Rogério Antônio Bento, o Rogerinho (atualmente sem partido) e Paulo Reis (Pros), sendo que esses dois últimos renunciaram ao cargo parlamentar. Com o afastamento do vereador José Geraldo Andrade (Avante), o prazo de 30 dias já está sendo contado para que seu suplente, Avelino Cruz (Avante), possa ocupar sua cadeira na Câmara de Ipatinga.

Presos

Estão presos preventivamente na PDMC os vereadores Wanderson Gandra, José Geraldo Andrade e Luiz Márcio e o ex-parlamentar Rogerinho. Enquanto Paulo Reis, marido da deputada estadual Rosângela Reis, possui um mandado de prisão preventiva expedido contra ele, mas ainda se encontra foragido. Já o assessor de gabinete dele, Ivan Menezes, está preso desde o dia 16. Todos são investigados pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), no âmbito da Operação Dolos, que apura irregularidades praticadas pelos parlamentares, entre elas, recolhimento de parte do salário dos assessores.

CP contra Andrade

Na tarde desta segunda-feira (25), os membros da Comissão Processante (CP), que apuram a quebra de decoro do vereador Andrade, realizaram a primeira reunião para discutir os trabalhos de apuração. Essa CP foi instaurada na sexta-feira (22) na Câmara de Ipatinga, por 19 votos favoráveis. A CP irá analisar a situação do vereador e decidir depois pela cassação, ou não, de seu mandato parlamentar. Andrade, bem como seu irmão, Célio, foram liberados do cárcere na noite desta segunda-feira, por decisão da Justiça, acatando um pedido do Ministério Público.

Foram escolhidos, por meio de um sorteio, para integrar a CP os vereadores Vanderson Autotrans (Pros), Lene Teixeira (PT) e Antônio Alves, o Tunico (PC do B). Entre eles, ficou decidido que Lene Teixeira será a presidente, Tunico o vice-presidente e Vanderson o relator.

Além dessa CP, a Câmara já havia acatado denúncias e abriu Comissão Processante para avaliar o caso de outros três, Luiz Márcio, Antônio Rogério Bento, Rogerinho, Wanderson Gandra e Paulo Reis.

Já publicado:
Juiz determina soltura do vereador Andrade
Renúncia é aceita e Rogerinho não é mais vereador em Ipatinga
Por unanimidade Câmara acata pedido de CP contra o vereador Andrade
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO