Saiba como minimizar os efeitos do jet lag em viagens

Especialista dá dicas para adaptar o organismo a diferença de horários e prevenir os incômodos do fuso horário

Reprodução


Acima de três horas o jet-lag já é sentido

Seja a passeio ou a trabalho, quem viaja para outros países pode sofrer com a fadiga causada pela repentina mudança de fuso horário, o chamado jet lag. Além disso, passar horas em um espaço apertado dentro do avião pode não ser nada confortável.

A Consultora do Sono da Duoflex, Renata Federighi, explica que esse desconforto é causado porque o relógio biológico fica desorientado quando os horários regulares de comer e dormir e a sequência habitual do dia e da noite são alterados. "Neste caso, adequar o sono e a alimentação são as principais medidas a serem tomadas. A diferença pode causar mal-estar, ansiedade, dor de cabeça, fadiga, insônia, sonolência e desordens estomacais", explica.

"Para algumas pessoas, a diferença de fuso horário de duas ou três horas é suficiente para sentir o cansaço da viagem, outras, precisam de uma mudança de mais de seis horas. Mas em geral, acima de três horas o jet-lag já é sentido", acrescenta Renata.

A cada hora de diferença o organismo precisa de cerca de um dia para se acostumar. Se a viagem for de curta duração, o melhor é tentar manter os horários de dormir e comer os mais próximos possíveis da rotina normal, para não estranhar na volta. Já no caso de viagens mais longas, o ideal é tentar se habituar ao horário do destino alguns dias antes de embarcar.

Para facilitar a adaptação e amenizar os efeitos, a especialista dá algumas dicas. "Durante o voo, tente dormir bem, para não chegar muito cansado ao destino. Para evitar inchaço nas pernas e nos pés, tente levantar e caminhar com certa regularidade ou, mesmo sentado, movimente a panturrilha e faça exercícios de rotação com os pés", orienta.

"Também é aconselhável levar o próprio travesseiro para a viagem, pois ele é o adequado para o seu biótipo e postura. Procure aproveitar a luz do dia para acostumar o relógio biológico ao novo ambiente, mas na hora de dormir mantenha o quarto escuro e bem arejado e tente descansar a mesma quantidade de horas que em dias normais", finaliza a consultora.

(Dezoito)
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO