Servidor de carreira assume Secretaria de Serviços Urbanos e Meio Ambiente

Indicado como novo ocupante da pasta da Sesuma, Agnaldo Giovani Bicalho é funcionário concursado da Prefeitura de Ipatinga desde 1994

Divulgação


Agnaldo Bicalho foi confirmado pelo prefeito Nardyello Rocha para a Sesuma nesta sexta-feira, lugar de Gilmar Alves

O prefeito Nardyello Rocha anunciou nessa sexta-feira o nome do novo secretário para a pasta de Serviços Urbanos e Meio Ambiente (Sesuma): trata-se do funcionário público há quase 25 anos, Agnaldo Giovani Bicalho.

O novo secretário, que também foi vereador por 12 anos, retornou ao cargo de fiscal de posturas em 2017, após deixar o parlamento ipatinguense.

O agora ex-titular da Sesuma, Gilmar Alves Alves, decidiu deixar o cargo para dedicar-se a projetos profissionais na iniciativa privada.

Além de Agnaldo, na atual Administração de Ipatinga outros seis secretários são servidores públicos de carreira. As pastas da Procuradoria Geral, Controladoria, Planejamento, Dados, Obras Públicas e Educação também são comandadas por servidores concursados.

O prefeito explica que a valorização dos servidores de carreira da Prefeitura de Ipatinga tem sido um dos pilares da atual administração.

Como secretários adjuntos, também foram nomeados para atuarem nesta gestão três servidores municipais habilitados em concurso, que prestam serviços na Proger, Educação e Assistência Social.

“Sempre digo que o servidor público é a mola-mestra de qualquer administração. Então, nada melhor que os concursados, que são técnicos e conhecem bem a máquina, para atuar nas secretarias municipais. Essa valorização do cargo do funcionário de carreira é uma política que tenho comigo desde que era presidente da Câmara. Atuei ao lado do Agnaldo, nos três mandatos que ele teve de vereador, e conheço a competência dele. Aqui nesta gestão não olhamos bandeira de partido, e sim a qualificação de quem for assumir para nos ajudar a governar a cidade”, disse o prefeito ao fazer o anúncio do novo secretário.

Agnaldo, por sua vez, não escondeu a satisfação de ser indicado pelo chefe do Executivo ao cargo de primeiro escalão no governo. “Esse reconhecimento que o prefeito tem oportunizado a alguns servidores da prefeitura, para serem secretários municipais, é simplesmente fantástico, motivador e desafiador. A Sesuma é uma pasta que executa diversos tipos de serviços e está sempre muito próxima da comunidade. Então isso requer uma dedicação e um empenho maior da minha parte. Espero junto do prefeito vestir e suar a camisa em prol do município de Ipatinga”, disse.

Trajetória comunitária

Nascido em Ipatinga, como o prefeito, Agnaldo Bicalho, de 41 anos, é funcionário concursado da Prefeitura de Ipatinga desde 1994. Foi vereador por três mandatos (2005/2009/2013). Nos últimos dois anos, esteve atuando à frente da Secretaria de Serviços Urbanos e Meio Ambiente como fiscal de posturas, no Departamento de Energia e Saneamento. Anteriormente ele também atuou no mesmo cargo, porém na Seção de Fiscalização de Obras e Posturas, e também no Departamento de Meio Ambiente.

Em 1998, Agnaldo Bicalho passou a integrar a diretoria do Sindicato dos Servidores Públicos de Ipatinga (Sintserpi), sendo eleito presidente em 2004.

Comentários

Boneca 18 de Março, 2019 | 15:45
Nossa gente, satisfazer vocês e complicado demais, tudo alguém acha ruim.
Pedrin Perito 17 de Março, 2019 | 19:19
Cheirando "acordinho" politico.....um cara do PT,sindicalista, ex vereador,ex tudo....sei lá..tem costura politica no ar.Tirando isso,mesmo que concursado,a pasta exige que o servidor seja diplomado na area ou seja, tenha conhecimento tecnico.Isso a matéria não mencionou !Pasmém!!!!!
Joo Vill 16 de Março, 2019 | 12:40
Parabéns prefeito, bons nomes.
Geraldo Francisco Lemos 16 de Março, 2019 | 11:09
Este discurso não tem coerência com a exoneração arbitrária de mais 160 servidores que foram sumariamente dispensados sem o devido processo individual e legal.Professores,médicos,enfermeiros,assistentes sociais e outros que foram retirados de seu local de trabalho e demitidos sem maiores informações.Se aposentar pelo tempo de contribuição e continuar trabalhando é garantido pela Constituição e o município tem que criar a previdência municipal para ai sim aposentar tais servidores com complementação,paridade e todos os direitos,conforme o artigo 40 da Constituição.Se o município foi omisso não é culpa destes servidores que terão que recorrer à justiça para fazer valer seus direitos.Um decreto seco não é a forma de tratar servidores que estavam em pleno trabalho,muitos com mais de 30 anos de prefeitura e histórico funcional exemplar.Faça justiça,prefeito.Readmita tais servidores antes que o justiça o faça,crie a RPPS e ai sim lhes garanta e aos demais aposentados os plenos direitos e o descanso que merecem.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO