Estagiário Futebol Clube

Conheça a rotina do estagiário João Salvador; do desejo de ser jogador de futebol à formação de jornalista esportivo

Divulgação


O campo ficou dividido entre Direito ou Jornalismo; E João, que sempre teve jeito para a área de comunicação, escolheu o Jornalismo como futura profissão

Aos 21 anos, João Salvador, nascido e criado em Salvador (Bahia), relembra que na infância o seu sonho número 1 era vestir a camisa de um time de futebol. Mas, a estratégia dele e do seu time, ou melhor, da sua família foi outra.

João decidiu vencer na vida se dedicando aos estudos. O campo ficou dividido entre Direito ou Jornalismo. E João, que sempre teve jeito para a área de comunicação, escolheu o Jornalismo como futura profissão.

O baiano estudante do sétimo semestre do curso de Jornalismo só não esperava que fosse começar a carreira justamente na área que ele tanto se identifica, trabalhando como estagiário de um grande portal de notícias esportivas. A vontade antiga de estar nos campos não ficou perdida. A paixão pelo esporte se transformou na prática, agora com uma diferença: João dribla as palavras, contado para milhares de pessoas as histórias e os bastidores do que ocorre nas diversas modalidades esportivas. Se enveredar por esse ramo para o João, foi como unir o útil ao agradável.

"Nasceu por uma paixão de futebol que eu já tinha e também por certos profissionais da área que eu sempre tive como referência, tipo Régis Rösing e Tadeu Schmidt. Então, essas personalidades do jornalismo ajudaram muito a me aproximar da área. Mas, eu nunca imaginei que iria começar pela área que eu mais gosto. Para mim, é surreal", conta o estudante.

Ainda no ensino médio, quando teve que decidir sobre a carreira, as opiniões para a escolha do curso não eram as melhores, exceto pela família que nunca deixou de lhe apoiar. "Falavam 'rapaz, jornalista? Você sabe que vai ser pobre né?'. Só que esses comentários sempre entraram por um ouvido e saíram pelo outro. Costumo pensar sempre que aquilo o que as pessoas falam e não são coisas construtivas, eu não mereço e nem quero guardar para mim", comenta com sabedoria.

Assim como muitos jogadores Brasil a fora, Salvador deseja, com o seu trabalho, inspirar a vida de outras pessoas. Terceiro da família a ingressar no ensino superior, ele quer acima de tudo ser exemplo, deixando de lado qualquer comentário que não seja construtivo para a trajetória profissional que tem pela frente.

"Pelo contrário, eu uso isso como uma forma para crescer ainda mais e falar que eu posso independentemente de cor, classe social e qualquer coisa. O João Salvador que eu sou hoje é muito mais por isso: é uma postura de autoafirmação, de confiar em meu potencial e não me importar com o que falam", reflete.

"Foi um gol aos 45 minutos do segundo tempo", brinca João sobre auxílio para estudar
E como uma boa partida não se joga sozinho, João analisa que a bolsa de estudo que conseguiu, por meio do Educa Mais Brasil, programa privado de incentivo estudantil, foi crucial para adentrar no ensino superior, pagando uma boa faculdade sem maiores apertos.

"Sempre tive alguns conceitos próprios com relação à universidade pública, por conta de greves e etc", conta o universitário que pesquisou faculdades privadas que fossem referência na comunicação em Salvador. A dificuldade financeira enfrentada em casa tornava o sonho distante. "Ficamos um pouco na dúvida se daria para pagar porque a mensalidade pesava um pouco. Até que eu consegui a bolsa. Foi aquele gol aos 45 minutos do segundo tempo o Educa Mais Brasil chegar e abrir as portas para que eu pudesse cursar a universidade particular"', relembra com ar vitorioso.

Em 2019, o Educa Mais Brasil, parceiro do ensino superior. A inscrição é simples e gratuita. Basta o interessado acessar o site do Educa, verificar as disponibilidade do auxílio para o curso desejado e clicar em "quero esta bolsa". (Roberto Paim | Agência Educa Mais Brasil)

Conheça a história do baiano João Salvador, estagiário apaixonado pelo jornalismo esportivo. Veja o vídeo.

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO