Maternidade e graduação, como conciliar?

Conheça a história da esteticista Isis dos Santos

Álbum pessoal


Isis dos Santos: ?Tudo foi crescimento. Contei muito com ajuda da minha família, mas infelizmente muitas mães não têm esse apoio?

Um dilema vivido por muitas mães no período da faculdade: engravidei, devo trancar a matrícula ou continuar? Essa dúvida crucial aflige estudantes que descobrem a gestação durante a graduação.

Na semana que passou, uma foto de uma mãe amamentando a filha durante a formatura viralizou e ganhou muitas curtidas e comentários. A personagem real retratada na imagem é Isis dos Santos, de 31 anos, mãe da pequena Paola, de apenas 3 anos. Isis passou por este dilema mas viu nos estudos a oportunidade de mudar de vida. “Tudo foi crescimento. Contei muito com ajuda da minha família, mas infelizmente muitas mães não têm esse apoio”, lamenta a esteticista.

Assim que a Paola nasceu, apesar das dificuldades que teria que enfrentar, Isis nunca pensou em desistir. Sua filha não seria desculpa para não correr atrás dos seus sonhos. Pelo contrário, a maternidade e impulsionou a buscar sempre o melhor. Começou a fazer algo que desse retorno financeiro. Foi quando descobriu seu talento para área de Estética. Formou e atua na área. Não foi o ponto final. Isis segue investindo na educação como forma de crescimento. Hoje, é graduanda do 3º semestre do curso de UNP.

Após a postagem da foto amamentado Paola durante a formatura de estética, Isis vem sendo inspiração para muitas outras mães que estão enfrentando o desafio de conciliar a maternidade com os estudos. Na primeira postagem, em outubro do ano passado, a repercussão foi enorme. “Foram mais de sete mil curtidas, com comentários positivos, mas também com comentários negativos. As pessoas julgam muito”.
Quando novamente fez a postagem, a foto novamente viralizou nas redes sociais. Desta vez, houve um “boom” de comentários positivos e de muito apoio. “Muitas mães estão me procurando com mensagens positivas e até mesmo mandando suas fotos, também na formatura com seus filhos. Isso mostra que não estamos sós, nós apoiamos mutuamente”, comemora.
Pamela Lisboa


Maternidade e graduação, como conciliar


Atualmente Isis segue em uma rotina bem corrida, mas já conseguiu bancar a creche da filha para se dedicar mais ao trabalho. Apesar dos custos e da sobrecarga de responsabilidades, já que é mãe solteira, Isis nunca reclama e tem muita gratidão por tudo que conquistou até hoje. “Sei que muitas pessoas conseguem até mais, o que eu consegui até aqui foi isso. Só tenho gratidão e não me canso de agradecer à minha família”.

Apesar de ter contado com a apoio da família, Isis sabe que muitas outras mães não tenham essa oportunidade. Assim, elas precisam levar os filhos para as aulas ou até mesmo se ausentar da faculdade por eles. O regime especial para gestantes universitárias, muitas vezes, não é cumprido pelas faculdades até mesmo por desconhecimento.

De acordo com a Lei 6.202/75, que existe há 35 anos, universitárias grávidas podem ter acesso ao conteúdo das aulas, realizar provas e cumprir outras atividades acadêmicas em casa a partir do oitavo mês de gestação. Apesar da garantia no papel, na prática, muitas mães acabam abdicando do sonho da formatura diante das dificuldades. Trancam o curso porque não conseguem acompanhar as aulas, trabalhos e provas. E a decisão de interromper os estudos não é influenciada apenas pelos nove meses de gestação, mas também pelo processo de pós-parto e amamentação.

Estudo sempre é alternativa

Se inspirou na história de Isis dos Santos? Saiba que estudo sempre é fonte de conhecimento e crescimento. Programas de inclusão educacional, como o Educa Mais Brasil, vem proporcionando o incentivo aos estudos por meio de Bolsas de estudo de até 70% de desconto. O programa oferece cursos de graduação, site do Educa Mais, escolha a modalidade de ensino e faça sua inscrição. É simples e gratuito. Nunca é tarde para voltar a estudar.
(Vanessa Casaes | Agência Educa Mais Brasil)

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO