Vale do Aço teve 105 assassinatos em 2018

Número representa aumento de dois casos em relação ao ano anterior

No ano passado 105 pessoas foram assassinadas em 15 municípios da região. O número representa dois casos a mais em relação ao ano de 2017, quando 103 pessoas morreram de forma violenta nesses municípios. Os números foram extraídos de um banco de dados criado pelo Diário do Aço em 2013, para acompanhamento real do número de pessoas que morrem assassinadas na região.

Conforme os dados, Ipatinga foi a cidade onde mais se matou em 2018, quando 31 pessoas foram assassinadas, contra 24 no mesmo período do ano anterior. Em seguida, aparece Timóteo, com 25 homicídios, contra 19 do ano anterior. Coronel Fabriciano, pelo segundo ano consecutivo teve redução no número de homicídios, 18 casos, contra 21 no ano anterior. A cidade, durante três anos, de 2014 a 2016, liderou o índice de assassinatos na região e apresentou queda no ano de 2017 e em 2018.

Já, em Santana do Paraiso, foram nove homicídios em 2018, mesmo número registrado em 2017.
Entre os municípios do Colar Metropolitano do Vale do Aço, Belo Oriente teve cinco homicídios, dentre os quais, a chacina de quatro jovens moradores de Ipatinga, encontrados mortos no meio de uma plantação de eucaliptos. No ano anterior foram registrados nove assassinatos no município.

Ipaba teve cinco homicídios ano passado, um a mais em relação ao ano anterior. Açucena registrou três assassinatos, mesmo número de 2017.

Já o município de Mesquita não teve registro de homicídios ano passado, contra um caso no ano de 2017. Marliéria também ficou sem homicídios em 2018, contra três em 2017. Naque, Jaguaraçu, Antônio Dias e Córrego Novo tiveram um assassinato, cada um. Veja a tabela completa no fim da reportagem.

Escalada de casos de homicídios em Timóteo no fim do ano pesaram no balanço de 2018

Para o comando do 58º Batalhão da Polícia Militar, responsável pelo policiamento em Timóteo e em Coronel Fabriciano, a maioria dos homicídios em Timóteo possui o mesmo pano de fundo, infrator contumaz contra infrator contumaz, ambos com várias passagens e prisões, especialmente relacionadas a tráfico de drogas, alguns gozando de algum benefício legal de prisão domiciliar, saída temporária ou livramento condicional e poucos casos fugiram a essa regra.

O município ganhou destaque nos relatórios de assassinatos, no fim do ano passado. Até o mês de setembro foram tinham sido registrados 12 homicídios. Numa escalada da violência, no mês de outro foram registrados sete homicídios, seguido do mês de novembro, com mais quatro e dois em novembro. A soma, no fim, chegou a 25.

Da quarta cidade mais violenta, Coronel Fabriciano agora figura entre as que mais reduzem homicídios
Welligton Fred


No balanço dos homicídios no ano passado, Coronel Fabriciano aparece com a cidade que mais reduziu assassinatos

O delegado da PC, Washington Moreira explicou que desde 2015 é feito um trabalho para a redução dos homicídios, que nos anos anteriores atingiram números considerados alarmantes, em comparação com a população de Coronel Fabriciano.

“Iniciamos um trabalho conjunto entre as polícias, Civil, Militar, Ministério Público e Judiciário, para dar pronta resposta aos crimes contra a vida que ocorrem na cidade. Hoje um homicídio, quando acontece na cidade, imediatamente nós já iniciamos nossos levantamentos, tem ainda o trabalho de inteligência que de certa forma já antevê quem possa ser o autor do homicídio e, com isso, é possível materializar as ordens de prisão e busca e apreensão rapidamente. Portanto o cidadão sabe que, quando mata alguém em Fabriciano polícia vai atrás, e ele procura de certa forma evitar o crime”, detalhou.

Como resultado do esforço concentrado, inclusive aos sábados, domingos e feriados, Washington Moreira informa que Coronel Fabriciano foi a cidade mineira que mais reduz crimes. “No ano de 2014 Coronel Fabriciano foi considerada a quarta cidade mais violenta (46 assassinatos) e hoje os números dizem que é a quinta cidade que mais reduz crimes no estado (18 homicídios). E o mais importante é que grande parte desses crimes que a polícia vem solucionando o tribunal do júri vem condenando os indivíduos e ainda muitos desses crimes os autores confessam os delitos”, conclui.

Ipatinga teve aumento de sete casos em relação ao ano anterior

Em Ipatinga o comando do 14º Batalhão da Polícia Militar informou que os homicídios consumados representam 4% dos crimes violentos. Ainda assim teve registrados 31 homicídios no ano passado, contra 24 no ano anterior. Acerca do cenário, a assessoria do 14º BPM divulgou nota informando que “desenvolve estratégias de gestão do acompanhamento operacional, envolvimento em tempo integral e abordagem a suspeitos visando reduzir os crimes violentos, inclusive de homicídio”, explica nota.

Ainda conforme a PM, o enfrentamento ao homicídio constitui uma das prioridades dos órgãos que compõem o Sistema de Defesa Social e as ações envolvem a Polícia Militar, Ministério Público, Polícia Civil dentro outros órgãos do estado.

Apuração em Paraíso

O delegado de Polícia Civil, responsável pela Delegacia da PC em Santana do Paraíso, Bruno Morato, informou que há um combate intenso ao delito de homicídio, que mexe no bem jurídico de maior valor, a vida. “E você manter o mesmo patamar do ano passado em uma tendência onde a violência e a população no geral, cresceu, a gente pode considerar isso como uma vitória embora o nosso foco seja na redução. Vale destacar que entre essa estatística há muitos crimes passionais. Embora haja tantas formas de o Estado prevenir os homicídios, os passionais são crimes de difícil prevenção”, observa.

O delegado também afirmou que a maioria dos assassinatos de 2018, em Santana do Paraíso, está elucidada e também a maioria dos integrantes das organizações criminosas da região estão presos.

Balanço de 2017
Crimes violentos contra a vida têm redução de 33,12% no Vale do Aço em 2017
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Sabonete 15 de Janeiro, 2019 | 08:48
ENQUANTO ESTIVER MORRENDO SOMENTE VAGABUNDO....LADRÃO.....NOIADO....TRAFICANTE.... ÓTIMO...!!! A POPULAÇÃO E AS FUNERÁRIAS AGRADECEM...
Mensageiro da Morte 14 de Janeiro, 2019 | 20:49
A mais so isso está pouco ainda a linha está bem baixa a estimativa e mais tem que matar mais ta pouco tem muitos ai fazendo peso na terra compre mais a arma aperfeiçoem mais o alvo e vão a caça tem muita vaga no inferno precisando ser completada assim vai ter mais emprego mais mulher menos desigualdade. ...
Boneca 14 de Janeiro, 2019 | 11:35
Fiz questão de procurar a população de Ipatinga, segundo site da Prefeitura a população estimada para a 2018 segundo o IBGE e de 261.344 habitantes.
Arthur 14 de Janeiro, 2019 | 10:06
Em fabri faltava o PT sair ksksksks
Palhaço 14 de Janeiro, 2019 | 08:31
Também, os vagabundo de Coronel Fabriciano vieram tudo pra Ipatinga, e so ir no Tiradentes e no BJ que ce acha que ta em Fabri.
José Carlos Oliveira 14 de Janeiro, 2019 | 05:52
Ipatinga tem 160.000 habitantes e teve 31 homicidios. Timóteo, com 90.000 habitantes teve 25 homicidios. Esses índices mostrados pelo jornal são alarmantes, só não vê quem não quer e a pior situação é da de Timóteo. Proporcionalmente a cidade apresenta índice maior do que Ipatinga.
Cleuzeni Torres 14 de Janeiro, 2019 | 05:16
Credo. Que matança. Donos de funerárias agradecem.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO