Bichectomia deixa rosto menos infantilizado e mais harmônico

Reprodução


A cirurgia tem esse nome, pois remove a Bola de Bichat, tecido gorduroso localizado na região malar, ou simplesmente, nas bochechas

Sem dúvidas, o rosto é o nosso cartão de visitas. Não é à toa que os procedimentos que visam ao aprimoramento da aparência facial estão em alta e são os que mais crescem, segundo dados da Sociedade Americana de Cirurgiões Plásticos (ASPS), como a aplicação de toxina botulínica e o preenchimento com ácido hialurônico, por exemplo.

Mas, enquanto o preenchimento com ácido hialurônico promete devolver o volume e o contorno faciais perdidos, há pessoas que buscam o contrário: diminuir o volume na região das bochechas por meio da bichectomia. A cirurgia tem esse nome, pois remove a Bola de Bichat, tecido gorduroso localizado na região malar, ou simplesmente, nas bochechas.

Segundo o cirurgião plástico, Dr. Luiz Molina, Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, a Bola de Bichat tem uma função específica na vida humana. É o primeiro lugar do corpo humano que acumula gordura e serve para ajudar o bebê a sugar o leite. Portanto, perde sua função depois do desmame.

“Entretanto, algumas pessoas mantêm as bochechas mais salientes na vida adulta, dando um aspecto infantilizado para a face. Outras podem aparentar ter mais peso do que realmente têm e, mesmo fazendo dieta, jamais irão se livrar dessa gordura. Há casos ainda em que há comprometimento da mastigação devido ao volume desta estrutura”, explica Dr. Molina.

Famosos popularizam procedimento

A bichectomia se popularizou, principalmente, depois que várias celebridades se submeteram à técnica. Entretanto, é preciso uma avaliação rigorosa do paciente para analisar se realmente há indicação.

“É importante lembrar que a bichectomia não é indicada para quem está acima do peso, nem para menores de 18 anos. O ideal é procurar o cirurgião dentro do peso ideal, para não correr o risco de deixar a aparência desproporcional”, ressalta Dr. Molina.

Outro ponto a ser avaliado é a idade do paciente. “No processo natural do envelhecimento, há perda de volume facial. O procedimento é irreversível, ou seja, uma vez retirada a Bola de Bichat, não há como colocá-la novamente. Assim, o cirurgião precisa avaliar a proporção do rosto e levar em consideração a aparência facial também no futuro”, diz o médico.

Quando há indicação, o objetivo principal é afinar o rosto, para deixar o formato mais harmônico e menos infantilizado. Para os homens, o objetivo também é dar uma aparência mais masculinizada. Em alguns casos, a cirurgia também visa à melhora da função mastigatória.

Sem cortes aparentes

A bichectomia é realizada por meio de uma pequena incisão, na cavidade oral. “Embora tenha se popularizado, é uma cirurgia como outra qualquer, portanto, apresenta riscos. É preciso procurar um cirurgião plástico especializado na técnica para prevenir possíveis efeitos adversos, como danos na glândula que produz a saliva, danos nos nervos faciais ou ainda nas vias áreas”, comenta Dr. Molina.

Recuperação requer cuidados especiais

O edema (inchaço) é uma reação esperada, assim como hematomas. Um dos principais cuidados no pós-operatório é fazer compressas de gelo. Além disso, é preciso adotar uma dieta mais pastosa, para evitar a mastigação nos primeiros dias. O uso de faixas de compressão também é indicado nos primeiros dias ou de acordo com a recomendação do médico. Por fim, a higiene bucal adequada é essencial, para prevenir uma infecção.

Resultados

O inchaço pode demorar até 6 meses para desaparecer. Portanto, o resultado real do procedimento só pode ser avaliado entre 4 a 6 meses depois da cirurgia.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Jobes Rodrigues Pereira 28 de Janeiro, 2020 | 10:59
O Ideal é procurar o cirurgião buco maxilo para remoção da bola de Bichat, pois é a especialidade mais afim do sistema estomatognático.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO