O que está fazendo sucesso quando o assunto é rejuvenescimento facial

Apesar de o Brasil ser o segundo país com o maior número de cirurgias plásticas no mundo, nos últimos anos os procedimentos menos invasivos, como aplicação de toxina botulínica e de ácido hialurônico, apresentaram um crescimento maior do que o número de procedimentos cirúrgicos.

De acordo com a Academia Americana de Plástica Facial e Cirurgia Reconstrutiva (AAFPRS), tratamentos não invasivos, como preenchimento facial, cresceram 80% em relação a 2017.E essa tendência é mundial: as pessoas estão investindo mais no rejuvenescimento facial do que em plásticas em outras partes do corpo.

Segundo o cirurgião plástico Dr. Luiz Philipe Molina, Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, uma das explicações é que os procedimentos menos invasivos oferecem mais segurança para os pacientes e menor tempo de recuperação.

“Além do perfil de segurança, o custo também é importante. Em tempos de crise, o paciente acaba escolhendo tratamentos mais acessíveis. Por último, como o rosto é o cartão de visitas, principalmente na vida profissional, os recursos são voltados para a melhora da aparência facial em detrimento da corporal”, cita Dr. Molina.

Mas o médico afirma que apesar disso, a procura pela cirurgia para aumento das mamas e lipoaspiração estão no ranking das cirurgias mais procuradas no Brasil, logo depois dos tratamentos estéticos faciais.

Envelhecimento da face é o primeiro a aparecer
O processo de envelhecimento começa por volta dos 30 anos e não há como fugir dele. A pele perde colágeno e elastina, ficando mais flácida. Porém, no rosto o envelhecimento também acontece devido ao surgimento de manchas do sol, assim como pela perda de gordura e remodelação dos ossos.

“Por isso, os tratamentos antienvelhecimento no rosto têm diferentes objetivos e são bem diversificados. Para o clareamento da pele e atenuação de cicatrizes de acnes, por exemplo, podemos usar peelings e laser de CO2, assim como o microagulhamento”, comenta Silaine Monteiro, esteticista da equipe do Clínica do Dr. Molina.

“Além de melhorar o aspecto da pele por meio destes tratamentos, podemos recorrer ao preenchimento com ácido hialurônico que irá devolver o volume e o contorno perdidos graças ao avanço da idade. Finalmente, usamos a toxina botulínica para amenizar as rugas e as marcas de expressão”, comenta Dr. Molina.

MD Codes Visionary promete resultado mais natural
O preenchimento com o ácido hialurônico não é novidade, pois já é feito há alguns anos. O que há de novo é o MD Codes, técnica criada por um médico brasileiro que promete um resultado mais harmônico e natural por meio da aplicação do ácido em pontos codificados pela técnica. Em 2017, houve uma atualização do protocolo que mudou o nome para MD Codes Visionary.

“O médico irá avaliar o rosto e interpretar as queixas do paciente para definir em quais pontos irá aplicar o ácido hialurônico. O MD Codes sistematizou os pontos das aplicações e isso ajuda bastante a alcançar resultados mais satisfatórios. Ele pode ser aplicado para melhorar as olheiras, o bigode chinês, linhas de ventrículo, para levantar o olhar, os cantos da boca, o nariz e as maçãs do rosto”, explica Dr. Molina. Lembrando que para as rugas, a solução é a toxina botulínica.

O resultado costuma agradar bastante os pacientes. A recuperação é muito rápida e o resultado do preenchimento já pode ser visto logo após a sessão. Em média, o ácido hialurônico dura em torno de 12 a 18 meses, mas varia de organismo para organismo. Já a toxina botulínica dura menos, em torno de 5 meses e os resultados podem ser vistos cerca de 15 dias após a aplicação.

(Agência Health)
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO