Dessa planta tudo se aproveita

Conheça algumas curiosidades sobre a riqueza natural que é o eucalipto

A sociedade precisa de produtos de base florestal para sua sobrevivência e conforto. Até pouco tempo, a necessidade de madeira era suprida quase que exclusivamente por meio das florestas nativas. O plantio de eucalipto é uma solução para diminuir a pressão sobre as florestas nativas, além de viabilizar a produção de madeira para atender às necessidades da sociedade em bases sustentáveis.

Um hectare de floresta plantada de eucalipto produz a mesma quantidade de madeira que 30 hectares de florestas tropicais nativas. Árvore da maior importância, presente nos cinco continentes e em todos os estados brasileiros, o eucalipto tem grande capacidade de adaptação, crescimento rápido, produtividade e inúmeras aplicações em diferentes setores.
 
ACS Cenibra


O plantio de eucalipto não prejudica outras formas de vida
Curiosidades:
- Estudos de conservação de solo atestam que áreas plantadas com eucalipto por muitos anos, quando direcionadas para outras lavouras, não interferem na produtividade. Há evidências de que culturas agrícolas plantadas em áreas anteriormente ocupadas por eucaliptos podem produzir acima da média verificada em lavouras da mesma região. Prova-se facilmente que há menor erosão nas áreas florestadas, quando comparadas com lavouras ou mesmo pastagens manejadas inadequadamente.

- Do eucalipto tudo se aproveita. Das folhas, extraem-se óleos e essências utilizadas em produtos de limpeza e alimentícios, em perfumes e até em remédios. A casca oferece tanino, usado para curtir o couro, o tronco fornece madeira para sarrafos, lambris, ripas, vigas, postes, varas, esteios para minas, mastros para barco, tábuas para embalagens e móveis. A fibra é usada como matéria-prima para fabricação de papel e celulose. 

- Estudos do Instituto FNP, em 2005, revelaram que o eucalipto é mais rentável que a pecuária de corte, a cana, a soja e o milho. Estudos da Universidade Federal de Viçosa constatam que o eucalipto consome menos água que muitas plantas. Para obter 1 kg de madeira, o eucalipto consome 350 litros de água, enquanto para 1 kg de batata, a planta consome 2.000 litros de água. Para a mesma quantidade de milho, cana de açúcar e cerrado, são precisos 1.000, 500 e 2.500 litros de água respectivamente.

- A implantação de monoculturas é um dos pontos que merecem atenção da sociedade. Café, soja, cana-de-açúcar, pastagens, eucalipto ou qualquer cultura feita sem critérios ambientais é prejudicial ao meio ambiente e ao homem. Mas os produtos resultantes são fundamentais à sociedade.  

ACS Cenibra


Cursos e mananciais de águas protegidos nas áreas da Cenibra
- No caso do eucalipto, são vários procedimentos adotados para integrar as plantas ao meio ambiente natural, mantendo ou aumentando a biodiversidade das áreas plantadas, por meio de planejamento técnico, estabelecimento de corredores de vegetação natural para movimentação da fauna, plantio de enriquecimento nas áreas de preservação e da adoção de práticas que garantam a sustentabilidade do sistema. 

- Nas propriedades onde se cultiva eucalipto são mantidas matas nativas para compor áreas de reserva legal. As nascentes também são protegidas. Em estudos feitos nas áreas da Cenibra foram encontradas mais de 300 espécies de plantas convivendo com plantios de eucalipto, mostrando não haver inibição da germinação de outras plantas nas áreas cultivadas.

- Essas áreas protegem e fornecem alimentos para a fauna silvestre, entre outras funções. Além disso, a fauna silvestre usa as áreas de plantio de eucalipto para construir ninhos, locomoção e alimentação. Plantações florestais não podem ter sua biodiversidade comparada com a das florestas nativas, às quais não visam substituir.

Proporcionam madeira e produtos não madeireiros para os mais diversos usos, diminuindo a pressão sobre as florestas nativas, ajudando na fixação do homem no campo e dinamizando a economia. Boa parcela dos plantios comerciais é feita por produtores rurais, via fomento. São as florestas sociais que geram circulação de riquezas, desconcentração fundiária, multiplicação de oportunidades e sustentabilidade da atividade florestal.
 
FONTES: Sociedade Brasileira de Silvicultura / Gazeta Mercantil – Jornal Agronegócio – Universidade Federal de Viçosa / Cartilha Por Dentro do Eucalipto – Cenibra
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO