Inventário Florestal na Amazônia

Dos nove estados que abrigam o bioma, o levantamento está em andamento em cinco e já foi concluído em Rondônia e parte do Pará e Mato Grosso

Equipes do Inventário Florestal Nacional (IFN) percorrem a Amazônia para coletar dados sobre as condições das florestas e entrevistar os moradores. Nos estados do Acre, Maranhão, Tocantins e na região de Manaus (Amazonas), as equipes deram início ao trabalho de campo, com previsão de quase 700 pontos de coleta de dados.

O levantamento também é feito em Roraima, onde deve terminar em julho, com coleta de dados em 201 pontos da floresta. O Serviço Florestal Brasileiro (SFB), órgão vinculado ao Ministério do Meio Ambiente, já concluiu o levantamento em Rondônia, parte do Pará e do Mato Grosso.

Divulgação


Pesquisadores levantam dados e entrevistam moradores na floresta
A expectativa é que a coleta de dados em campo em toda a Amazônia seja concluída até o final de 2020. O levantamento conta com investimento do Fundo Amazônia, num total de mais de R$ 65 milhões. O objetivo é saber não só a quantidade dos recursos florestais, mas o estado de conservação, sua diversidade e a relação da população com as florestas. Os resultados vão orientar políticas de conservação, uso e desenvolvimento florestal.

A Amazônia é a maior reserva de biodiversidade do mundo e o maior bioma do Brasil – 420 milhões de hectares, quase metade do território nacional. O bioma cobre cinco estados (Acre, Amapá, Amazonas, Pará e Roraima), quase totalmente Rondônia (98,8%) e parcialmente Mato Grosso (54%), Maranhão (34%) e Tocantins (9%).

As equipes vão a campo medir as árvores, analisar sua saúde e vitalidade, coletar amostras do solo e de material botânico, entre outros aspectos. Além disso, entrevistam moradores do entorno das áreas pesquisadas para obter informações sobre a sua relação com a floresta e o uso dos recursos florestais.

A coleta de dados do Inventário Florestal Nacional já foi concluída em 48% dos estados: Alagoas, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina e Sergipe. Em outros 11 estados (40,7%), o levantamento está em andamento.

Quase 51 mil amostras botânicas e mais de 12 mil amostras de solo foram coletadas, entre outros dados, em mais de 6 mil pontos do país. Além disso, quase 17 mil pessoas já foram entrevistadas pelas equipes do IFN nas proximidades das áreas pesquisadas.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO