Após acidente em Ipatinga, Telemont promete redução da carga de trabalho

O Sinttel alega que diversos pontos da Legislação Trabalhista têm sido descumpridos sistematicamente pela Telemont

Arquivo DA


Trabalhadores da Telemont em Ipatinga, reunidos no dia do velório do colega vítima de acidente

A Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de Belo Horizonte promoveu a reunião de mediação entre o Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicações (Sinttel) e a Telemont, empresa que presta serviços terceirizados para a operadora Oi.

A reunião, realizada na quarta-feira (4), era aguardada após o funcionário ipatinguense da Telemont, Fanuel Marques de Oliveira, morrer durante a execução de um serviço. O técnico encostou na rede elétrica, levou um choque, caiu e morreu. Uma das possíveis causas do acidente que acarretou a morte de Fanuel foi a sobrecarga de trabalho, segundo apontam os colegas dele na empresa.

O Sinttel alega que diversos pontos da Legislação Trabalhista têm sido descumpridos sistematicamente pela Telemont e revela até casos de coação contra os trabalhadores para realizarem horas extras que excedem o limite permitido. As reclamações foram levadas à SRTE da capital mineira, cidade sede da Telemont, e durante a reunião de mediação a empresa reconheceu o excesso das horas trabalhadas.
Divulgação


Bruno Silva, coordenador regional do Sinttel, aponta que diversas irregularidades foram cometidas pela empresa

Segundo a empresa, a região de atendimento no Vale do Aço é extensa e a demanda de serviços aumentou durante o período chuvoso. A Telemont concordou em retornar à normalidade a escala de trabalho e respeitar as folgas de direito dos trabalhadores.

Como encaminhamento da mediação, foi determinado que a Telemont apresente os espelhos de pontos solicitados para a SRTE e realizar reunião junto à comissão estabelecida para análise dos documentos até dia 17 de maio. Está marcada para o dia 30 de maio uma nova reunião na superintendência, em BH.

O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) foi acionado para auditar a Telemont, com o objetivo de investigar os indícios que possam explicar o acidente que ocasionou a morte de Fanuel, quando instalava uma linha telefônica na rua Taunay, bairro Ideal, no dia 26 de março.

A sobrecarga de trabalho e outras irregularidades já vinham sendo denunciadas por representantes dos trabalhadores e a ocorrência fez desencadear uma série de manifestações com pedidos de providências.

Comentários

Jos das Couves 07 de Abril, 2018 | 13:34
Na região norte acho que é em todo lugar onde a telemont presta serviços, nos não pegamos serviço no nosso horário somos convocados a começar a nossa jornada todos os dias 30 minutos antes do nosso horário estabelecido pela própria empresa, além de começar a jornada mais cedo mandam mensagens nos comunicando que passaremos uma hora à mais no final do expediente isso está acontecendo à vários meses.
Anonimo 07 de Abril, 2018 | 11:54
Se os auditores virem pro Norte e Nordeste de Minas vão ver muito trabalho escravo por parte da Telemont. Tem técnico que passa o dia inteiro sem se alimentar deslocando de cidade em cidade que não tem restaurantes credenciados. Os supervisores obrigam a viajar e falam que eles tem que se virar senao perde o emprego.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO