150 pessoas já morreram esse ano em Minas com febre amarela

A letalidade da doença é de aproximadamente 33,6%

Divulgação


"Ainda há uma estimativa de 1.606.357 pessoas não vacinadas contra a febre amarela no estado", informa SES

Minas Gerais contou, até terça-feira (3) 150 mortes por febre amarela. O dado foi divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) e mostra que cinco óbitos foram confirmados na semana anterior. O levantamento revela, ainda, que a doença atingiu 446 pessoas desde julho de 2017. O número, no entanto, pode ser ainda maior já que outros 567 casos suspeitos estão sendo investigados pelos órgãos de saúde.

A letalidade da doença é de aproximadamente 33,6%. Do total de casos confirmados, 387(86,8%) são do sexo masculino e 59 (13,2%) do sexo feminino. Dentre os óbitos, apenas dez foram do sexo feminino, o que representa 6,7% do total.

O balanço mostra, também, que 11 pacientes com histórico de imunização teriam contraído a enfermidade. Uma comissão foi montada para apurar os casos. "Cabe ressaltar que a eficácia da vacina contra febre amarela é de 95% a 98%, sendo considerada altamente eficaz e segura na prevenção da transmissão do vírus. Como medida adicional, para a população mais exposta à circulação do vírus, recomenda-se também a utilização de repelente como medida de proteção individual", frisou a pasta.

Vacina

A SES informou que a principal explicação para o número de casos é a falta de proteção, apesar de o índice vacinal já chegar a 91,91% da população.

"Ainda há uma estimativa de 1.606.357 pessoas não vacinadas contra a febre amarela no estado, especialmente na faixa-etária de 15 a 59 anos de idade, que também foi a mais acometida pela epidemia de febre amarela silvestre ocorrida em 2017", informou a secretaria, em nota.

Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO