Itaú Cultural devolve obra de Emil Bauch que foi roubada da Biblioteca Nacional

O Itaú Cultural informou que, enquanto as obras estavam expostas em suas dependências, não tinha conhecimento do roubo das mesmas

Emil Bauch/ Reprodução


As obras, impressas na Alemanha, fazem parte da coleção Souvenirs de Pernambuco
O Instituto Itaú Cultural assinou na sexta-feira (23) um termo de compromisso para devolver à Fundação Biblioteca Nacional oito litografias do artista Emil Bauch (1823-1874), que tinham sido furtadas do acervo da instituição em 2004. As obras, impressas na Alemanha, fazem parte da coleção Souvenirs de Pernambuco, que integravam a Coleção Brasiliana Itaú, e passaram por uma perícia realizada por especialistas para verificar a procedência.

O Itaú Cultural informou que, enquanto as obras estavam expostas em suas dependências, não tinha conhecimento do roubo das mesmas. A instituição afirmou ainda que o tomou a iniciativa de disponibilizar o material voluntariamente para perícia, ao tomar conhecimento, pela imprensa, de que poderiam se tratar de peças furtadas da Biblioteca Nacional.

“Estamos estarrecidos e ao mesmo tempo fortemente empenhados em esclarecer os fatos em conjunto com a Biblioteca Nacional”, afirmou o diretor do Itaú Cultural, Eduardo Saron.
O compromisso do Itaú Cultural com a Fundação Biblioteca Nacional se estende à verificação de outras obras de sua coleção. “Além das oito litografias, já na semana passada também propusemos termo de compromisso, assinado nesta sexta-feira, para que técnicos da Biblioteca Nacional possam fazer uma verificação suplementar de obras específicas de nosso acervo”, apontou Saron.

Em nota, o Ministério da Cultura defendeu a punição dos culpados pelo roubo e prometeu reforçar a segurança da Biblioteca Nacional. “Esperamos que todos os responsáveis sejam identificados, julgados e punidos. E que o caso traga à luz a necessidade de um combate mais efetivo aos crimes relacionados a obras de arte no Brasil. O MinC irá procurar o Ministério da Justiça e o Ministério da Segurança Pública para tratar do assunto”, apontou.

O Itaú Cultural acrescentou que, desde 2009, realiza um conjunto de ações para democratizar o acesso e dar visibilidade pública à sua coleção. Entre as iniciativas está a criação de um portal na internet para apresentar ao público as coleções brasilianas existentes no país, em parceria com a Biblioteca Nacional e outras instituições. “O portal foi ao ar em 2017 e as obras de Emil Bauch, que são múltiplas, com outros exemplares em circulação no Brasil e exterior, figuram entre as peças exibidas na plataforma. O Itaú Cultural reforça que segue atuando em estreita colaboração com a Biblioteca Nacional”, completou em nota.

(Com informações: Agência Brasil)
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO