Historiador lança livro sobre Coronel Fabriciano

Longos e criteriosos anos de pesquisa em várias fontes resultaram em uma obra detalhada

No próximo domingo, 25, às 10h, a Escola Estadual Raulino Cotta Pacheco, no bairro Amaro Lanari, em Coronel Fabriciano, estará em festa para o lançamento do livro Coronel Fabriciano – História e Contexto, escrito pelo professor aposentado, escritor e historiador Beto Souto.

A obra nasceu de uma surpresa do autor, que, em suas pesquisas sobre a “Cidade-Mãe” do Vale do Aço em bibliotecas públicas e universitárias, bancas de revistas e livrarias, não conseguiu encontrar nenhum livro publicado sobre a história da cidade em que o autor nasceu e vive.

Divulgação


Beto Souto e o livro sobre a cidade que tanto ama
Por outro lado, Beto Souto descobriu várias publicações de livros sobre Ipatinga e Timóteo, cidades emancipadas de Coronel Fabriciano na década de 1960.

Em dez anos de buscas por informações, encontrou fatos históricos importantes sobre Coronel Fabriciano em revistas, jornais, internet, livros sobre a região e biografias de personalidades da cidade.

Após a pesquisa, organizou e sistematizou o material encontrado, que foi transformado no livro que está lançando.

Em meio à viagem pelas informações “garimpadas”, descobriu preciosidades “escondidas” do domínio público, como a importância de alguns pioneiros e a formação histórica da cidade, que foi marcada pelo intenso envolvimento entre os municípios nela surgidos: Coronel Fabriciano, Ipatinga, Timóteo e Santana do Paraíso.

O livro mostra as trilhas percorridas pelos mesmos desbravadores que deram origem a um panorama de grandes transformações culturais, políticas e econômicas do Vale do Aço.

Em seu trabalho de historiador, Beto Souto busca os fatos e questiona-os, quando necessário. Compara as informações e opta, em primeiro lugar, pela comprovação histórica documental e a confiabilidade da fonte, buscando a verdade histórica, sempre.

Construiu assim uma história contextualizada, procurando informar e/ou analisar, de forma ampla, os aspectos políticos, sociais, econômicos e culturais que provocaram as transformações da cidade ao longo do tempo, sem se descuidar de suas inter-relações.

E assim, imagina que sua obra seja instrumento de educação e cidadania para a juventude e fonte de pesquisas para estudantes e historiadores.

Manuel Roberto Souto, o Beto Souto, nasceu em Coronel Fabriciano, em 4 de dezembro de 1953. É professor de História - aposentado - e desenvolve pesquisa em História Regional, com ênfase na História de Minas Gerais. Publicou em 2007 o livro Professor e Poder na Escola Pública, e, em 2015, A Mulher na História.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Marcia 18 de março, 2018 | 20:52
Parabéns Beto!!! Muito chique!👏👏
Gildázio Garcia Vitor 18 de março, 2018 | 12:38
Professor e Mestre de muitos, Beto sempre foi um defensor da Educação pública com qualidade para os filhos da classe trabalhadora, aquela que os "coxinhas" denominam como escola "com partido". Obrigado por todas as lições e parabéns por mais esta obra.
Euclides 18 de março, 2018 | 08:30
Inteligência, sensibilidade, profissionalismo e ética, eis o que vejo no Professor e Historiador Beto. Parabéns para Cel. Fabriciano por esse presente.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO