Araxá e Conselheiro Lafaiete destacam-se entre os dez municípios mais pacíficos do Brasil

Se aumentado o recorte para 30 municípios menos violentos do país, Minas Gerais amplia sua participação com Barbacena e Lavras

Ascom/ Prefeitura de Araxá


Araxá é um município minerador e também conhecido pelas águas termais que atraem turistas de todo o país
O Atlas da Violência 2017 - estudo realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) - aponta dois municípios mineiros entre os dez mais pacíficos do Brasil: Araxá, no Território Triângulo Sul, é o quinto colocado, enquanto Conselheiro Lafaiete, no Território Vertentes, aparece na nona colocação.

O recorte analisado pelo Ipea de dados relativos a homicídios em 2015 coletados pelo Ministério da Saúde, por meio do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM), considerou municípios com mais de 100 mil habitantes.

Melhor cidade mineira no levantamento do Ipea, Araxá está a 364 km de Belo Horizonte e é reconhecida como município minerador - maior produtor de nióbio do mundo - e pelas águas termais que atraem turistas de todo o Brasil.

No estudo, o município registrou a taxa de 6,8 como o resultado de homicídios + MCVI (Morte Violenta com Causa Indeterminada) em 2015. No mesmo ano, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Araxá possuía 102.238 habitantes. O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da cidade é de 0,772 (Pnud, 2010) e a renda per capta de R$ 31.457,42 (IBGE, 2011).

Para o delegado regional de Araxá, Vitor Hugo Heisler, três fatores são fundamentais para a boa colocação do município na liderança dos menos violentos de Minas Gerais e o quinto do Brasil, segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Primeiro, ele ressalta a dedicação dos policiais civis quando ocorre um crime violento para que seja apurado no menor tempo possível. “Essa apuração rápida produz um efeito positivo na comunidade, especialmente junto aos criminosos”, observa.

Heisler enumera como segundo fator as parcerias entre as polícias Civil e Militar, Ministério Público e Poder Judiciário. “As polícias trabalham de forma coesa, com troca de informações, o que facilita o combate à criminalidade, e a boa relação com o Ministério Público e o Poder Judiciário dá agilidade à concessão de medidas cautelares, como mandados de prisão e de busca e apreensão”, afirma.

Entrosamento também nas instituições em Lafaiete

Conselheiro Lafaiete, por sua vez, apresentou uma taxa de 8,0 no estudo do Ipea. Cercado por mineradoras, o município, a 100km da capital e 451,5 km de Araxá, tem produção agropecuária, comércio e serviços e é cortado pela BR-040. O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de Lafaiete é 0,761 (Pnud, 2010) e a renda per capta R$ 9.045,78 (IBGE, 2011). Também segundo o segundo o IBGE, em 2015, Lafaiete tinha 125.421 habitantes.

No comando da delegacia regional está Patrícia Teresinha Bianchete que, assim como o delegado Vítor Heisler, em Araxá, entende que a segunda colocação de Lafaiete entre os municípios menos violentos de Minas Gerais e a nona posição no Brasil se deve, entre outros fatores, ao comprometimento da equipe da polícia judiciária.

“A nossa parceria com o Ministério Público, Poder Judiciário e Polícia Militar facilita bastante o nosso trabalho, pois a cidade não é como antigamente, tem muito mais furtos e roubos ligados ao uso e tráfico de drogas. Porém, o nosso trabalho de combate ao crime tem de ser permanente”, insiste.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO