Falta de água constante gera reclamações

A Copasa admite que realiza serviços nos poços de onde extrai a água que abastece a região e avisa que, somente nas “próximas semanas”, a intervenção será concluída

Alex Ferreira


A falta constante de água é devido aos serviços de melhoria no sistema de poços da Copasa
Nas duas últimas semanas muitos moradores de Ipatinga e alguns bairros de Santana do Paraíso registram reclamações sobre a constante falta de água. Em mensagens enviadas ao Diário do Aço, moradores relataram o drama de chegar em casa e não encontrar água nem para o básico.

A Copasa admite que realiza serviços nos poços de onde extrai a água que abastece a região e avisa que, somente nas “próximas semanas”, a intervenção será concluída. Até lá, as pessoas devem economizar o líquido para evitar o desabastecimento.

Com as rotinas diárias prejudicadas, sem ter como limpar a casa, lavar roupa ou louça e sem respostas da concessionária, a população reclama. “Está havendo um rodízio?”, “Por que a empresa não avisa, quando vai suspender o abastecimento?”, “Os poços estão secando?”. Essas são algumas das perguntas. Outros moradores já buscam alternativas de abastecimento, como a perfuração de poços artesianos, para residências e condomínios. Entretanto, o uso de poços demanda investimentos, mais gastos com energia elétrica para extrair água, e o licenciamento ambiental.

Resposta
Procurada pelo Diário do Aço, a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) enviou uma nota em que responde as reclamações dos moradores de Ipatinga e de Santana do Paraíso. A empresa afirma que a falta de água em algumas localidades ocorre em função de serviços no sistema de poços onde extrai a água que abastece a região. “A Copasa está realizando ações preventivas para ampliar e melhorar o sistema produtor de poços que abastecem a cidade de Ipatinga, visando garantir maior oferta de água”, afirma.

A nota ainda acrescenta que os moradores podem entrar em contato com a Copasa quando houver esse tipo de problema, e anuncia que os serviços terminarão dentro de algumas semanas. “Durante a execução das ações, as equipes operacionais da Companhia estão à disposição da população por meio dos canais de atendimento, caso ocorra alguma intermitência no abastecimento. A previsão é que os serviços sejam concluídos nas próximas semanas”, conclui a nota.

Entenda
O abastecimento do Vale do Aço é feito a partir da captação de água, pela Copasa, por meio de um sistema integrado, composto por uma bateria de poços profundos no aquífero aluvionar da bacia do rio Piracicaba, entre os bairros Mangueiras e Amaro Lanari, em Coronel Fabriciano.

Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Karol 19 de novembro, 2017 | 06:35
Essa COPASA não me engana mais. Estamos vivendo o caos no abastecimento e não falam a verdade para o povo. Brincava aqui em casa, com a minha família, que teremos de comprar baldes para transportar água de algum lugar.
Arthur 18 de novembro, 2017 | 17:32
O que a Copasa parece não divulgar pra não criar alarme é que a + ou - 2 anos o vale do Aço vive um racionamento velado e gradual... basta raciocinar e analisar dados climáticos que constatam que não chove regular tanto no vda como no vale do rio Doce a uns 5 anos... assim a água não repõe suficientemente no subsolo... lembrar do lago da Usipa que está quase seco igual várias nascentes e lagoas que estão secas, pq toda essa água vem do sub solo e está se esgotando... e isso vai piorar pq não tem previsão de chuva constante nos próximos meses e anos, mto pelo contrario...

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO