Ex-líder das Farc escapa de escolta e se torna um foragido

Quando estava perto da assinatura do acordo de paz cresceu o rumor que "Cadete" estava liderando uma dissidência

Divulgação


Quando estava perto da assinatura do acordo de paz cresceu o rumor que "Cadete" estava liderando uma dissidência
Um antigo líder da ex-guerrilha Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), identificado pelo codinome de "Rodrigo Cadete", fugiu da escolta da Unidade Nacional de Proteção (UNP) que o acompanhava, confirmou nesta segunda-feira (11) o vice-presidente da Colômbia, o general retirado Óscar Naranjo.

"Independentemente dos detalhes sobre tempo e lugar, o que posso dizer é que esse indivíduo deve preparar-se para receber toda perseguição militar, policial e judicial", disse Naranjo a jornalistas.

Segundo meios de comunicação locais, "Cadete" estava com dois oficiais de escolta quando chegou a um vilarejo e pediu fazer uma pausa em uma loja. Ali, havia vários homens armados, que tiraram as armas dos oficiais e depois saíram ao lado do ex-guerrilheiro.

Segundo a emissora Caracol Radio, "Cadete" era o líder da Frente 27 das Farc, guerrilha que se desarmou após assinar um acordo de paz com o governo e já se transformou em um partido político. Precisamente quando estava perto da assinatura do acordo de paz cresceu o rumor que "Cadete" estava liderando uma dissidência.

No entanto, o guerrilheiro se submeteu ao processo de desarmamento e desmobilização, razão pela qual Naranjo destacou hoje que não pode haver "uma espécie de porta giratória onde se ingressa num processo e se pode sair sem que o Estado atue como tem que agir para submetê-lo à lei".

(Com informações: Agência Brasil)
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO