Combate a incêndios florestais

Divulgação/ACS Cenibra


Os incêndios causam estragos de toda forma prejudiciais
A Cenibra iniciou neste mês a sua campanha anual de prevenção e combate a incêndios florestais. Por meio de mensagens de conscientização, busca alertar sobre os prejuízos das queimadas para o meio ambiente e para a sociedade. Além de prejudicar a biodiversidade das áreas, impactar na qualidade do ar e saúde, o ato é crime.

Uma prática comum na zona rural, o uso do fogo (queimada) para limpeza do solo, pasto ou plantação deve respeitar os critérios determinados por lei (recomendações do IEF), sem comprometer a terra e os recursos naturais. Contudo, é fundamental estar atento à legislação ambiental, no que diz respeito ao Incêndio Florestal.

A Lei n. 9.605 /98, que dispõe sobre as sanções penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente, em seu artigo 41 tipifica como crime contra a flora a conduta de provocar incêndio em mata ou floresta.

Art. 41. Provocar incêndio em mata ou floresta:
Pena - reclusão, de dois a quatro anos, e multa.
Parágrafo único. Se o crime é culposo, a pena é de detenção de seis meses a um ano, e multa.

Melhorias no sistema de proteção patrimonial da Cenibra são primordiais, principalmente em prol da segurança dos ativos ambientais e plantios.

Parte desse aperfeiçoamento foi a implantação de novas tecnologias para a prevenção e combate a incêndios florestais nos 54 municípios de atuação da empresa, cobrindo uma área de aproximadamente 250 mil hectares, sendo 51% de plantio; 41% de preservação permanente, reserva e floresta nativa; e 7% de infraestrutura.

Iniciado em 2015, na região de Belo Oriente, e após excelentes resultados, o sistema foi expandido para as outras Regionais. Os investimentos no monitoramento de alta precisão propiciaram ainda novas condições de trabalho aos empregados no que diz respeito a ergonomia e conforto.

A empresa disponibiliza às comunidades um telefone gratuito para receber informações sobre incêndios florestais: 0800 283-1291. Após receber a ligação, uma equipe verifica a veracidade das informações e toma as devidas providências.

Operando 24h/dia, a Central de Monitoramento tem profissionais capacitados, que contam com monitores com várias telas simultâneas mostrando diversos pontos das florestas e o apoio de uma equipe de observadores de campo treinada, que faz rondas terrestres e está preparada para atuar na contenção do fogo quando a situação exige.

Além da brigada, que está sempre a postos. Nesse aspecto, o sistema trouxe também ganhos em segurança, pois a equipe de campo passou a ter informações mais precisas, para atuar de forma mais adequada na contenção, quando necessário.

Além da proteção patrimonial e do meio ambiente com o combate a incêndios, outras possibilidades estão sendo identificadas com o uso do sistema. É possível, por exemplo, identificar ataques de insetos, como a do percevejo bronzeado que muda a coloração da vegetação, facilitando a identificação da área atingida por pragas.

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO