Licenciamento da MG-760 é aprovado no Copam

Obra está paralisada desde o dia 1 de dezembro de 2014, por causa de uma ação movida por ambientalistas que questionaram pontos do licenciamento ambiental

Por unanimidade dos conselheiros da Câmara Técnica de Infraestrutura, Saneamento e Urbanização (CIF) do Conselho de Política Ambiental (COPAM) do Estado, foi aprovada a licença prévia concomitante com licença de instalação (LP+LI) Classe 3, para a atividade de pavimentação e melhoramentos de rodovia, da Rodovia MG 320/ MG 760 – Trecho entre a BR-262 e o distrito de Cava Grande, em Marliéria.
Divulgação


Reunião no Copam, em que foi aprovado o licenciamento da estrada entre o Vale do Aço e a Zona da Mata mineira


A obra de pavimentação foi iniciada no dia 3 de setembro de 2013, e paralisadas no dia 1 de dezembro de 2014, por causa de uma ação movida por ambientalistas que questionaram pontos do licenciamento ambiental e exigiram o atendimento de condicionantes ambientais para proteger o Parque Estadual do Rio Doce, uma vez que a estrada corta um trecho da zona de amortecimento da reserva de mata atlântica.

Na reunião, o deputado Celinho do Sinttrocel fez uma defesa do empreendimento solicitando a aprovação do licenciamento ambiental das obras da MG-760 junto aos conselheiros, salientando a importância da obra para o desenvolvimento econômico da região, como também da preservação do patrimônio ambiental do Parque Estadual do Rio Doce.

O parlamentar enfatizou a importância de o empreendimento seguir rigorosamente as condicionantes apresentadas no Estudo de Impacto Ambiental, defendendo a sua realização dentro dos parâmetros ambientais que vão proporcionar uma estrada moderna e ambientalmente correta, sem impactos à Unidade de Conservação.

Celinho avalia que agora o próximo passo é cobrar do Governador Fernando Pimentel a celeridade na assinatura da ordem de serviço para a retomada das obras. “Os recursos estão garantidos, desde 2013 quando foi aprovado na
Assembleia Legislativa convênio com o Banco do Brasil para financiamento da obra. Estamos muito perto de termos uma vitória total, que é a vitória de toda a região, de todos que se mobilizaram e acreditaram que era possível”, comemorou o deputado.

Entenda
A Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop) informou ao Diário do Aço que a mesma empresa que venceu a licitação feita em 2013, a Tamasa Engenharia S.A., deverá dar continuidade à pavimentação da MG-760, com extensão de 47 quilômetros. O valor do contrato com a empresa é de R$ 125,8 milhões.

Obra parou no fim de 2014, por causa de questões ambientais


O licenciamento aprovado pelo Copam esta semana trata apenas do trecho entre Cava Grande e a BR-262, em São José Goiabal. Falta definir o projeto de uma variante, entre Cava Grande e a BR-381, via bairros Licuri, Alphaville e Limoeiro, em Timóteo, haja vista que as ruas dos bairros Ana Rita e Centro-Sul, na sede de Timóteo, não suportariam
o tráfego de veículos pesados que a rodovia irá canalizar para a sede do município. Essa variante seria uma estrada nova, e que iria passar por áreas de preservação com a presença de nascentes e lagoas.

A avenida Acesita, principal via de escoamento de tráfego da LMG-760, na entrada de Timóteo, atualmente possui limitação de veículos até 10 toneladas.

Em uma audiência pública realizada em novembro de 2016, na sede do Parque Estadual do Rio Doce, representantes do Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem do Estado de Minas Gerais (DEER/MG), deixaram claro que a variante ou “contorno de Timóteo” refere-se a outra obra, que não foi tratada na audiência e ainda não possui projeto de engenharia

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO