Preservação do meio ambiente é prioridade na Usiminas

Companhia celebra Dia Mundial do Meio Ambiente com ações para a comunidade e ampliação de projetos

ACS Usiminas


Os estudantes aproveitam o Projeto Aventura no Viveiro
Com o compromisso de promover continuamente ações que buscam harmonizar a produção industrial com a preservação da natureza, a Usiminas celebra o Dia Mundial do Meio Ambiente focada na manutenção e ampliação de suas iniciativas.

Para comemorar a data, estão programadas diversas atividades a partir do dia 5 de junho, tanto para o público interno da usina e da Usiminas Mecânica quanto para a população de Ipatinga. Além da abertura do tradicional projeto de educação ambiental Xerimbabo, serão ainda realizadas blitze ecológicas com motoristas com distribuição de mudas.

A companhia investe em atividades que vão desde o uso racional dos recursos naturais até a gestão dos impactos da produção siderúrgica no meio ambiente, passando por projetos de conscientização voltados para a comunidade.

ACS Usiminas


A exposição Projeto Xerimbabo quebra recordes a cada ano
A Usiminas tem um compromisso histórico com a conservação do meio ambiente e vem aplicando seus investimentos na área principalmente em projetos de engenharia, manutenção e melhoria de processos, além de educação e gestão ambiental”, afirma Pedro Luís Ribeiro, gerente-geral de Meio Ambiente da Usiminas.

Entre os projetos desenvolvidos pela Usiminas em Ipatinga está o Programa Áreas Verdes, que reúne ações de implantação, recomposição e preservação da vegetação presente na empresa e no seu entorno, com o cultivo e o fornecimento de mudas, além da manutenção preventiva contra incêndio por meio da técnica de aceiro.

Em 2016, mais de 8 mil mudas de várias espécies foram plantadas tanto na área industrial quanto nas áreas verdes externas à Usina. Desde a implantação do programa, no início da década de 1980, mais de 3 milhões de árvores já foram plantadas por meio da iniciativa.

ACS Usiminas


O agregado siderúrgico da Usiminas garante o programa Caminhos do Vale
Além disso, cerca de 20 mil mudas produzidas no Viveiro da Usiminas foram doadas no ano passado a diversas entidades do Vale do Aço. Do viveiro também são fornecidas mudas para as atividades de manejo de outro projeto relevante para a companhia, o Mata Ciliar. Focado no reflorestamento, contempla uma extensão de 22 quilômetros e uma área de 185 hectares às margens dos rios Doce e Piracicaba.

A água também é essencial no processo siderúrgico e vital para o ser humano, e recebe um gerenciamento efetivo e constante por parte da Usiminas. A empresa trabalha com foco na redução do consumo e no seu reaproveitamento, seja por meio de melhorias em seu processo produtivo, aumento da recirculação, que hoje é de 95,5%, ou de técnicas de reuso.

Para possibilitar novas e sustentáveis destinações aos resíduos industriais, são feitos estudos pelo Centro de Pesquisa e Desenvolvimento, visando, por exemplo, o reaproveitamento de lamas, sucatas e agregado siderúrgico. Nesse contexto, destaca-se o programa Caminhos do Vale, que tem como objetivo a aplicação de agregado siderúrgico nas estradas rurais da região, proporcionando maior acessibilidade das comunidades.

Desde sua implantação, em 2015, já foram aplicadas mais de 1 milhão de toneladas do agregado siderúrgico, utilizadas em cerca de 700 quilômetros de estradas rurais, na restauração de 50 quilômetros de vias urbanas e na recuperação de 35 pontes, encostas e áreas degradadas.

Outra iniciativa premiada é o projeto “Baia de Mistura de Resíduos”, que tornou possível a captação e reciclagem da lama fina de aciaria, carepas e reciclado industrial gerados na produção, antes depositados em aterro industrial. Todo esse material retorna em substituição ao uso de minério e antracito na sinterização. O trabalho recebeu neste ano o 7º Prêmio Mercedes-Benz de Responsabilidade Ambiental.

ACS Usiminas


As matas ciliares recebem cuidados especiais em Ipatinga
Projeto Xerimbabo
Em sua 33ª edição, o projeto de educação ambiental Xerimbabo abre na próxima terça feira, dia 6, as visitas à exposição “A fauna sem lar”, no Centro de Biodiversidade da Usipa (Cebus). “Estudantes e comunidade em geral terão a oportunidade de refletir sobre o desequilíbrio ambiental causado pelo tráfico de animais silvestres, incêndios florestais e conflitos urbanos, que comprometem a nossa própria sobrevivência”, explica Lélio Costa Silva, idealizador do projeto.

A exposição integra a programação do Xerimbabo, que este ano contempla também duas atividades realizadas por meio da área de Ação Educativa do Instituto Cultural Usiminas. O “Conhecendo a Usiminas” promove a oportunidade de estudantes visitarem a Usina de Ipatinga e conhecer o processo de fabricação do aço por meio da contação de histórias.

Na mesma dinâmica narrativa, a “Aventura no Viveiro” leva as escolas para uma experiência única no Viveiro de Mudas da Usiminas. As duas programações são realizadas mensalmente, entre março e junho, e contam com a apresentação da atriz Raquel Vieira.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO