Cruzeiro estreia na Sul-Americana contra o Nacional (PAR), no Mineirão

Washington Alves/Light Press


Thiago Neves em ação no clássico contra o arquirrival. Vitória renovou confiança no Cruzeiro
Ainda motivado com a vitória sobre o arquirrival no último sábado, por 2 a 1, na penúltima rodada da fase de classificação do Campeonato Mineiro, o Cruzeiro estreia na Copa Sul-Americana nesta terça-feira, às 21h45, no Mineirão, contra o Nacional do Paraguai. O desafio do time celeste, além de buscar a vitória, é a proposta de resgatar a fama de copeiro em disputas internacionais.

A última conquista de expressão no âmbito internacional foi a Recopa de 1998, disputada em 1999, em duelos contra o River Plate. Para buscar esse objetivo, menos de 24 horas depois da vitória no clássico sobre o Atlético, o Cruzeiro voltou aos trabalhos na Toca da Raposa II.

Como de praxe nos treinos logo em seguida de jogos, os titulares fizeram um trabalho regenerativo na parte interna do CT. O único em campo foi o goleiro Rafael, que treinou normalmente com o preparador de goleiros Robertinho. Os reservas realizaram atividade técnica no gramado.

O Nacional, rival do Cruzeiro logo mais, não vive boa fase. É o penúltimo colocado no Campeonato Paraguaio, com uma vitória em dez jogos. No sábado, o time foi derrotado em casa pelo Independiente de Campo Grande, também de Assunção, por 2 a 1. O Nacional do Paraguai foi fundado em 1904, inspirado no Nacional do Uruguai, que tem como data de fundação 1899.

O time base é formado com Santiago Rojas, Roberto Servín, Ramon Coronel, Richard Salinas; Melgarejo, Jonathan Santana, Walter Rodríguez, Miguel Paniagua; Edgardo Orzuza, Juan Salgueiro e Freddy Bareiro.
Experiência

O Cruzeiro tem em seu grupo jogadores acostumados a disputar torneios internacionais. Um deles é o volante argentino Ariel Cabral, que foi atleta do Vélez Sarsfield entre 2006 e 2015. Com a camisa do El Fortín, o meio-campista jogou três edições do torneio, além de quatro participações na Copa Libertadores da América.

“(A Copa Sul-Americana) é diferente porque são rivais de outros países, é outra competição. Pessoalmente, eu gosto desse tipo de competição porque todo mundo está de olho. Vai ser um jogo muito importante”, resume.

Ariel jogou a Sul-Americana em 2009, 2011 e 2013. Na edição de seis anos atrás, o Vélez alcançou as semifinais e foi eliminado pela LDU, do Equador. Somadas todas as presenças, o volante fez 15 partidas, com sete vitórias, cinco empates e três derrotas. Já na Libertadores foram 22 jogos em 2007, 2010, 2012 e 2014 (16 triunfos, dois empates e quatro derrotas).

O objetivo do Cruzeiro, segundo Cabral, é construir uma boa vantagem de gols para chegar ao duelo de volta - dia 5 de maio (quarta-feira), às 19h15, em Assunção - em situação tranquila. “O primeiro jogo, dentro de casa, nós vamos tratar de não sofrer gols, para ter uma vantagem boa. Vamos tentar fazer gols para ir bem para o jogo de volta”, concluiu Ariel Cabral.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO