Irmãos são assassinados com crueldade em distrito de Caratinga

O crime ocorreu na terça-feira, a Polícia já está com os principais suspeitos e segue com a investigação

Reprodução: Super Canal


Casal de irmãos foram assassinados em Caratinga, PC segue com investigação do caso


Um casal de irmãos foi brutalmente assassinado com algum objeto cortante ou perfurante. O crime violento ocorreu dentro da propriedade rural do Córrego do Macaco, em Dom Modesto, distrito de Caratinga, na terça-feira (28). As vítimas do duplo homicídio foram João Batista Martins, de 55 anos, e Luzia Martins Dias, também de 55.

Maurício Xavier Dias, de 29 anos, sobrinho de uma das vítimas e Adriano José de Souza, de 41 anos, foram detidos pela Polícia Militar nesta quarta-feira (29) como os principais suspeitos de terem cometido o crime.

O assassinato

O vendedor Leomar Vidal Garantido, de 27 anos, que passa sempre pela localidade a trabalho foi quem suspeitou que havia algo de errado e encontrou um dos corpos caído no interior da residência.

"Eu me deparei com a casa aberta e eu gritava e não atendia. Aí saí do local e depois voltei. Ao chegar aqui, encontrei a casa da mesma forma e aí gritei e não atendeu. Como é de costume, eles saem e fecham a casa. Eu pulei a porteira e cheguei até a janela onde vi algumas coisas bagunçadas. Meu amigo estava do lado de fora e falei: 'dá uma olhada aí, que eu vou olhar aqui'. Estou achando isso muito esquisito. Passei pela porta da frente da cozinha e abri o portãozinho. Entrei na varanda, quando deparei com mais bagunça no chão. Aí eu entrei mais um pouco e a avistei caída em meio às poças de sangue. Aí já saí em desespero e gritando", relatou Leomar.

Segundo Leomar, a PM foi acionada e os parentes das vítimas avisados sobre o crime. A PM isolou e resguardou o local até a chegada da perícia técnica da Polícia Civil.

João Batista foi encontrado em um quarto próximo à sala. E Luzia em outro quarto perto da copa. A mulher tinha as mãos amarradas e ferimentos menores no pescoço. João Batista também apresentava ferimentos na região do pescoço, porém, mais profundos.

O crime será investigado pela Delegacia Regional de Caratinga. De acordo com o perito Mageste, ainda não é possível afirmar se os irmãos foram vítimas de latrocínio, ou seja, roubo seguido de morte. "Qual o intuito desse homicídio, a gente não pode explicitar porque não tem como afirmarmos com certeza se houve furto ou não no local", disse o perito.

A perícia recolheu uma foice, possivelmente, suja de sangue, no interior da residência, que será periciada. "Eu não posso dizer precisamente qual foi a arma utilizada. Foi um instrumento perfurocortante. Nós apreendemos uma foice e ela terá que ser periciada ainda", explicou o perito.

Suspeitos negaram a autoria do crime

Segundo a PM, Maurício e Adriano são os principais suspeitos pelo crime. Tenente Brenno apresentou detalhes do trabalho de levantamento de informações sobre o caso e a prisão dos dois indivíduos suspeitos. A PM recebeu informações da comunidade sobre quatro suspeitos do crime que estariam no distrito de Dom Lara.

Maurício foi abordado e aos militares informou que desconhecia a morte da tia. Indagado sobre o que fazia no momento do crime, Maurício apresentou um depoimento contraditório e suspeito. A Polícia chegou até Adriano que também apresentou informações suspeitas.

Maurício Xavier Dias, de 29 anos, sobrinho de uma das vítimas e Adriano José de Souza, de 41 anos, foram detidos pela Polícia Militar como suspeitos e negam


Um dos homens que estava no bar com os principais suspeitos do crime confirmou aos militares que Maurício havia comentado que iria até o distrito de Dom Modesto para fazer maldade com seus parentes porque não haviam pagado por um serviço de quebra de milho, feito na propriedade. Adriano teria se oferecido para fazer parte do crime. Segundo a PM, os dois suspeitos foram a pé até a casa dos irmãos João e Luzia em Dom Modesto.

Adriano e Maurício têm passagens por tentativa de homicídio. Na Delegacia, os suspeitos negaram a autoria do crime. “Como eu ia fazer isso com um parente meu? Ela (Luzia Martins Dias) era minha tia. Eu estava em casa à noite”, destacou Maurício. Já Adriano disse que não conhecia as vítimas e que nunca esteve no distrito de Dom Modesto.
Os suspeitos foram conduzidos à delegacia para serem ouvidos. A Polícia Civil dará prosseguimento à apuração.

(Com informações: Super Canal)
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO